Fonte: OpenWeather

    _


    MPF pede suspensão de pesquisas para exploração de petróleo em área de corais na Amazônia

    Corais da Amazônia - Foto: Divulgação Greenpeace

    O Ministério Público Federal no Amapá (MPF/AP) recomendou ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) que suspenda os estudos para a exploração de petróleo na foz do rio Amazonas até que sejam avaliados os impactos da atividade na barreira de corais existente na região. A recomendação pede ainda que seja reaberto e revisto o processo de licenciamento ambiental que autorizou a perfuração marítima no local.


    Para o MPF/AP, a licença concedida à empresa Total E&P do Brasil, responsável pelo trabalho de extração de petróleo no local para realizar os estudos, não levou em consideração o importante ecossistema existente no recife de corais da foz do rio Amazonas. Assim, a exploração em área próxima, sem o estudo de impacto ambiental adequado, pode trazer prejuízos irreparáveis a este bioma único e pouco conhecido.

    O processo de licenciamento ambiental ainda está em andamento, e a Total iniciará as atividades de exploração somente após a emissão da licença ambiental pelo Ibama, mas perfurações já estariam sendo feitas, de acordo com o MPF, autorizadas como parte dos estudos do próprio licenciamento.

    Acesse ao documento do Ministério Público, clicando aqui.

    De acordo com o MPF, devido à recente descoberta, ainda não existem pesquisas científicas suficientes sobre esse novo ecossistema, nem foi possível identificar todos os novos seres encontrados nesse recife de corais da Amazônia.

    EM TEMPO