Fonte: OpenWeather

    Reajuste


    Susam e sindicatos começam discussão para data base do setor de saúde

    Nesta data, ocorrerá a primeira reunião já com a apresentação formal das pessoas que irão compor a Mesa em que será discutido o reajuste

    Também será colocada em discussão a retomada do Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração (PCCR), que está parado desde 2010 | Foto: Divulgação/Susam
    Susam e sindicatos iniciam nessa quinta composição da data-base
    Susam e sindicatos iniciam nessa quinta composição da data-base | Foto: Divulgação/Susam

    Manaus - Em reunião nesta segunda-feira (12), na sede da Secretaria de Estado de Saúde (Susam), representantes do órgão e dos sindicatos dos trabalhadores do setor aprovaram, por decisão unânime, que terá início nesta quinta-feira (15), os trabalhos da Mesa Estadual de Negociação Permanente do SUS sobre a composição da data-base da categoria.

    Nesta data, ocorrerá a primeira reunião já com a apresentação formal das pessoas que irão compor a Mesa em que serão discutidas as bases do reajuste a ser concedido em maio, quando ocorre a data-base da categoria. Também será colocada em discussão a retomada do Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração (PCCR), que está parado desde 2010.

    Leia também: Guaraná de Maués representará o Amazonas em feira internacional

    O calendário aprovado nas reuniões passadas vem sendo seguido pela Susam, sendo março o prazo para a instalação oficial da Mesa e abril para a conclusão do processo de negociação.

    Susam e sindicatos iniciam nessa quinta composição da data-base
    Susam e sindicatos iniciam nessa quinta composição da data-base | Foto: Divulgação/Susam

    Participaram da reunião desta segunda-feira, com participação de representantes de todos os segmentos da saúde, também foi definido um prazo de dois dias (13 e 14)  de março para que todos os sindicatos oficializem os nomes dos seus representantes na Mesa. Até o momento, apenas quatro sindicatos já fizeram isso – Sindcd, Sinfar, Simeam e Sindpsi.

    Outra proposta aprovada foi a conclamação de uma reunião extraordinária do Conselho Estadual de Saúde, no próximo dia 20 de março, para oficializar e legitimar a retomada da Mesa de Negociação e o início dos trabalhos.

    O secretário Francisco Deodato ressaltou a importância da retomada da Mesa de Negociação Permanente do SUS. “Sem a Mesa não avançamos. O Governo do Estado tomou a decisão de abrir as discussões sobre a data-base, o que não vinha ocorrendo em gestões passadas. Mas, só iremos avançar nesse processo, se a Mesa for retomada, com a participação dos representantes legais. É este processo que dará legitimidade às decisões aqui tomadas”, disse o secretário.

    Na Mesa, serão discutidas as bases do reajuste que será concedido em maio
    Na Mesa, serão discutidas as bases do reajuste que será concedido em maio | Foto: Divulgação/Susam

    Deodato lembrou que, tão logo assumiu, em outubro do ano passado, o atual governo deu garantias de que voltará a fazer a correção na data-base, abrindo o canal de diálogo para a negociação, que foi encerrada pela gestão passada. O último reajuste da categoria foi em 2014. Com a decisão de suspender o reajuste e o fechamento do diálogo pelo governo da época, a mesa deixou de se reunir.

    Em fevereiro, o Governo do Amazonas retomou o pagamento do auxílio alimentação, suspenso em 2016, e estendeu a todos os servidores, inclusive aos do interior, que nunca receberam o benefício. Segundo o governo, é um gesto de demonstração de que valoriza e reconhece a importância dos servidores no processo de reconstrução da saúde do estado.

    O presidente do Simeam, Mário Viana, destacou a importância do trabalho conjunto entre sindicato e governo, no sentido de construção do diálogo. “A categoria médica e todas as categorias de saúde podem afirmar que as negociação já existem, há algum tempo, e no dia 15 vamos reunir a Mesa, retomando à sua formação inicial, com verificação jurídica, para que possamos, de vez, concretizar as negociações, que já estão adiantadas. E vai ser muito bom para todos os médicos e demais categorias. Estamos trabalhando, todos os sindicatos, de forma irmanada, para que possamos ter uma condição de trabalho melhor”.

    Leia mais: 
    Pesquisa que associou Zika vírus e microcefalia é premiada
    INSS vai injetar R$ 200 milhões para pagamento de pescadores no AM
    Envolvidos em morte de taxista são presos no Careiro da Várzea, no AM