Fonte: OpenWeather

    Violência sexual


    Homem é preso por estupro coletivo de criança de 8 anos na Ponta Negra

    Ele e mais 4 homens estupravam a menina há 1 ano

    O pintor Julimar Garcia dos Santos, 29, conhecido como “Mimi”, foi preso com uma arma
    O pintor Julimar Garcia dos Santos, 29, conhecido como “Mimi”, foi preso com uma arma | Foto: Divulgação/PC

    O pintor Julimar Garcia dos Santos, 29, conhecido como “Mimi”, foi preso por envolvimento em um estupro coletivo de uma criança de 8 anos dentro de uma casa, em condomínio de luxo na Ponta Negra. Ele foi preso na quarta-feira (10/1), por volta das 10h30, na Rua Ajuricaba do Distrito de Vila de Lindóia.

    De acordo com a delegada Juliana Tuma, “Mimi”, um pintor de 58 anos, um mecânico de 57 anos, um jardineiro de 51 anos e um vigilante de 48 anos, estupraram, ao longo de doze meses, uma menina de oito anos. Os abusos tiveram início em 2016, na casa da avó da vítima, em um condomínio residencial no bairro Ponta Negra, zona oeste de Manaus, onde os cinco infratores prestavam serviços.

    Leia também: Homem é baleado por equipe da Delegacia de Homicídios em perseguição

     “No dia 26 de outubro de 2017 conseguimos prender os outros quatro indivíduos, após a mãe da vítima formalizar Boletim de Ocorrência (BO) na Depca. A nossa equipe de investigação deu continuidade às diligências para encontrar o quinto elemento envolvido nos estupros. O mandado de busca e apreensão, bem como o mandado de prisão temporária em nome do pintor, foram expedidos no dia 29 de setembro de 2017, pela juíza Patrícia Chacon Oliveira Loureiro, da Vara Especializada em Crimes contra a Dignidade Sexual de Crianças e Adolescentes”, declarou Tuma.  

    Conforme a delegada, a equipe de investigação da especializada recebeu informações de que Julimar havia fugido para o Distrito de Vila de Lindóia, em Itacoatiara. “Quando chegamos ao local indicado, encontramos o infrator na casa onde ele estava morando. Durante revista na residência, apreendemos uma espingarda contendo munições intactas. Ele argumentou que utilizava a arma exclusivamente para caçar, mas não apresentou documentação da arma”, disse.  

    Julimar foi autuado em flagrante por posse irregular de arma de fogo de uso permitido e, ainda, indiciado por estupro de vulnerável. Após a conversão do mandado de prisão temporária para preventiva, “Mimi” será conduzido ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), onde irá permanecer à disposição da Justiça.

    Leia mais:

    Prefeitura analisa regulamentação do aplicativo Uber em Manaus

    TJAM seleciona estagiários de nível médio no Amazonas

    Benefício de aposentados e pensionistas tem reajuste de 2,07%