Fonte: OpenWeather

    CASO SOTERO


    Justiça solicita nova audiência de instrução para Caso Sotero

    Gustavo Sotero é acusado de atirar e matar o advogado Wilson Justo Filho, em 25 de novembro de 2017. Caso está sendo analisado pelo perito Ricardo Molina

    Sotero está preso atualmente na carceragem da Polícia Civil do Amazonas | Foto: Jael Lucena

    Manaus - A 1ª Vara do Tribunal do Júri pautou para próxima terça-feira (17) e quarta-feira (18), mais uma audiência de instrução e julgamento do delegado da Polícia Civil do Amazonas (PC-AM), Gustavo Sotero, acusado de atirar e matar o advogado Wilson Justo Filho e ferir outras três pessoas, no dia 25 de novembro de 2017. 

    O tiroteio ocorreu dentro da casa noturna Porão do Alemão, localizada no bairro São Jorge, na Zona Oeste. 

    Além de Sotero, o diretor da 1ª Vara do Tribunal do Júri solicitou a presença dos delegados Alessandro Albino, Joyce Pacheco Santana, Ana Cristina Braga, escrivã Sarah Mônica Barbosa Mojica, lotada no 1º Distrito Integrado de Polícia (DIP), os policiais militares Michele Souza dos Santos e Breno Guimarães de Souza, ambos lotados na 21ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), como testemunhas arroladas nos autos de processo crime de nº 0641996-45.2017.8.04.0001.

    Atendimento médico

    No último dia 4 de junho deste ano, a advogada Carmen Valerya Romero solicitou ao delegado-geral da PC-AM, Mariolino Brito, que Sotero necessita de um atendimento médico regular.

     O advogado de defesa de Sotero, Cláudio Dalledone, informou, na audiência, que é inquestionável que o delegado foi perseguido
    O advogado de defesa de Sotero, Cláudio Dalledone, informou, na audiência, que é inquestionável que o delegado foi perseguido | Foto: Divulgação

    Segundo a defesa, o policial está sofrendo reações de estresse grave e transtornos de adaptação nas carceragem do Grupo Força Especial de Resgate e Assalto (Fera). Ainda conforme Romero, Gustavo Sotero está tomando remédios controlados.

    Leia também: Após irregularidades, MPC pede suspensão de concurso da Seduc

    Primeira audiência de instrução

    Após mais de 8 horas de depoimentos, três vítimas e cinco testemunhas foram ouvidas no dia 14 de junho deste ano, na primeira audiência de instrução do julgamento do delegado da Polícia Civil, Gustavo Sotero.

    O juiz que conduziu as diligências, Celso de Paula, titular da 1ª Vara do Tribunal do Júri, disse que essa foi a audiência inaugural de instrução. Durante o depoimento, a esposa de Wilson, Fabiola Oliveira, chegou a se emocionar diversas vezes.

    A filha do casal completou quatro anos no dia 13 de junho de 2018 e, segundo a mãe, perguntou diversas vezes pelo pai. O advogado de defesa de Sotero, Cláudio Dalledone, informou, na audiência, que é inquestionável que o delegado foi perseguido e, efetivamente, há o reconhecimento da legítima defesa na imagens de segurança da casa noturna. 

    Leia mais

    Justiça condena presidente e advogados do Sindmetal-AM por estelionato

    Família denuncia demora em atendimento de grávida na Ana Braga

    Senado derruba decreto que prejudicava setor de bebidas da Zona Franca