Fonte: OpenWeather

    Trabalho pastoral


    Vídeo: novo arcebispo de Manaus, Steiner fala em preservação

    Dom Leonardo Steiner foi anunciado como sucessor do arcebispo de Manaus, Dom Sérgio Castriani, na manhã desta quinta-feira (28), no Centro, Zona Sul de Manaus

    Assista à reportagem | Autor: Samara Maciel/TV Em Tempo

    Manaus - Nomeado pelo papa Francisco, Dom Leonardo Steiner foi apresentado pela Arquidiocese de Manaus como o novo arcebispo da capital amazonense. O antecessor, Dom Sérgio Castriani, que teve o pedido de renúncia aceito pelo papa por motivos de saúde, também estava presente na coletiva - na manhã desta quinta-feira (28) na Residência Episcopal, localizada na avenida Joaquim Nabuco, Centro de Manaus.

    Segundo Dom Leonardo Steiner, a Arquidiocese de Manaus, a maior da Amazônia, é o coração da região por estar localizada no centro da Amazônia. Ele ressaltou que pretende prosseguir com o legado que seu antecessor deixou na capital amazonense.

    “A floresta amazônica é fundamental não apenas para o Brasil, mas para o Mundo. Além da floresta, a Amazônia é o berço de grandes rios com águas potáveis, algo que deve ser igualmente cuidado. Devemos preservá-los, para que a importância deles não surja apenas com a possível falta das águas. Pedir ajuda por conta da ausência das águas pode ser tarde demais”, comentou o sucessor.

    Steiner aproveitou o momento para ressaltar que, além do tema da preservação da Amazônia, o seu trabalho pastoral vai continuar presente na sociedade sobre temas como a violência, questões indígenas e prisões, por exemplo.

    “O povo aqui é muito acolhedor. Eu já sabia que o pessoal do Norte era assim, mas não sabia que era tanto. Espero acolher a todos com meu coração no decorrer dessa jornada. O povo amazonense pode esperar um bispo que quer se inserir, que quer estar presente. Um bispo que pretende levar adiante um plano pastoral que Dom Sérgio organizou e dinamizar nossa arquidiocese. É necessário que a igreja esteja bastante presente na sociedade, abordando questões violências, desmatamento, indígena, prisão. Vamos dar continuidade a essas ações que a Arquidiocese já realiza e levantar muitas outras mais”, declarou Steiner.

    O pronunciamento foi realizado inicialmente por Dom Sérgio Castriani, que se esforçou para responder as perguntas da imprensa, mas por motivos de saúde, debilitada pelo Mal de Parkinson, teve que encerrar a fala. “Estou muito feliz, pois é um momento muito importante para nós. Fico grato pela presença”, comentou Castriani.

    Renúncia

    Em maio deste ano, Dom Sérgio enviou uma carta ao papa informando sobre seu estado de saúde e deixando o cargo à disposição. O arcebispo foi diagnosticado com Mal de Parkinson em 2015.

    Ele chegou a afirmar em entrevistas que a doença não o impede de exercer o trabalho, e muito menos de celebrar cerimônias religiosas. Além do arcebispado, Dom Sérgio realiza sessões de fisioterapia, exercícios físicos e exames de rotina.

    Dom Sérgio Castriani deve permanecer no cargo até o dia 31 de janeiro de 2020, às 18h, na Catedral Metropolitana Nossa Senhora da Conceição, onde passará a função de administrador apostólico para Dom Leonardo Steiner.

    Assista à reportagem da TV Em Tempo: 

    Assista à reportagem | Autor: Samara Maciel/TV Em Tempo