Fonte: OpenWeather

    Acidente de trânsito


    Acidente que resultou na morte de empresário tem duas versões, no AM

    Testemunha afirma que o motorista do carro deu seta. Já amigos de motoqueiro afirmam o contrário

    Acidente ocorreu na AM-010, km 41, Zona Rural de Manaus. | Foto: Divulgação

    Manaus - Uma testemunha da colisão de veículos, que resultou na morte do empresário, Carlos Fábio Oliveira Lima, de 42 anos, deu uma versão diferente do que foi relatado pelos amigos do empresário: eles afirmam que o condutor não deu seta.

    Já um passageiro que estava dentro do veículo, informou ao EM TEMPO que eles estavam a caminho de um sítio e antes de dobrar no sentido do ramal, foram surpreendidos com os motoqueiros, na AM-010, km 41, Zona Rural de Manaus.

    "Lá na entrada do ramal é uma curva e quando a gente entra na curva, já acionamos a seta, e, quando ele ia entrar, ouvimos barulho de uma moto, quando a primeira passou, ele parou, já o rapaz que veio a falecer, não fez barulho e quando ele dobrou, o rapaz colidiu com o veículo", disse a testemunha que não quis ser identificada.

    Testemunha afirma que o condutor do veículo deu a seta
    Testemunha afirma que o condutor do veículo deu a seta | Foto: Divulgação

    Testemunha afirma que o condutor do veículo deu a seta. "Após o motoqueiro ultrapassar, ele já estava com a seta ligada, quando ele ia entrar, o cara veio e bateu. Ele foi lançado uns 10 a 15 metros de distância", disse a testemunha.

    Segundo a testemunha, no momento do acidente não houve confusão com os amigos do empresário, e, os mesmos não testemunharam o momento exato da batida e ainda chegaram minutos depois do ocorrido.

    Os envolvidos no acidente ficaram no local até a vítima ser levada pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), para uma unidade hospitalar.

    O acidente

    A colisão da motocicleta e o carro ocorreu por volta das 07h 40, do último domingo (31), ele foi encaminhado para o Hospital e Pronto-Socorro Platão Araújo, com múltiplas fraturas no corpo. 

    Segundo os registros do Instituto Médico Legal (IML), o empresário faleceu no caminho do hospital, e teve duas paradas cardíacas. E já chegou sem vida na unidade.