Fonte: OpenWeather

    Coronavírus


    Hospital de campanha é consolidado com estrutura de alta complexidade

    Além de 180 leitos ativos, dos quais 39 destinados à Unidade de Terapia Intensiva (UTI), o hospital de campanha funciona totalmente informatizado e possui os setores primordiais de uma unidade de grande porte

    Mais de 520 pacientes internados no hospital já puderam retornar aos seus lares
    Mais de 520 pacientes internados no hospital já puderam retornar aos seus lares | Foto: Cleuton Silva

    Manaus - Uma unidade hospitalar de alta complexidade. Foi no que se transformou o Hospital de Campanha Municipal Gilberto Novaes, montado em uma estrutura originalmente destinada a uma escola. Prestes a completar dois meses de funcionamento, o centro de saúde, viabilizado através de parceria público-privada entre Grupo Samel, Instituto Transire e Prefeitura de Manaus, dispõe hoje da estrutura necessária para garantir o suporte dos pacientes, com as mesmas tecnologias e protocolos utilizados pela rede de saúde privada.

    Além de 180 leitos ativos, dos quais 39 destinados à Unidade de Terapia Intensiva (UTI), o hospital de campanha funciona totalmente informatizado e possui os setores primordiais de uma unidade de grande porte. Esterilização de materiais, controle de infecção hospitalar, engenharia clínica, nutrição clínica e arquivo médico e estatística são algumas das áreas gerenciadas por departamentos próprios implantados no hospital.

    Conforme o coordenador do Hospital de Campanha e diretor do Grupo Samel, Ricardo Nicolau, apesar do status provisório, o hospital conta com uma estrutura de alta complexidade. “São mais de 60 dias de trabalho, desde que fizemos a transformação de uma escola em um hospital em apenas quatro dias. Hoje, este hospital de campanha é um hospital de grande porte, que exerceu um papel vital nos momentos mais críticos desta pandemia, ao salvar mais de 520 vidas até o momento, graças aos protocolos e tecnologias do Grupo Samel e ao atendimento diferenciado e humanizado que aqui nós prestamos. Com tudo isso, conseguimos obter um índice altíssimo de satisfação dos nossos pacientes”, pontua Ricardo Nicolau.

    Dentre os principais setores em operação na unidade estão: Central Material Esterilização (CME), responsável pela limpeza e processamento de artigos e instrumentais médico-hospitalares; Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH), que realiza atividade de vigilância epidemiológica e microbiológica, investigações e controle de surtos, monitoramento do uso de antimicrobianos e acompanhamento dos profissionais vítimas de acidentes com material biológico; e Serviço de Arquivo Médico e Estatística (SAME), que mantém a integridade do conjunto de prontuários pertencentes ao hospital.

    Outros setores essenciais instalados são os de Engenharia Clínica (que promove o gerenciamento e a manutenção de equipamentos hospitalares), Nutrição Clínica (responsável pela dieta hospitalar, tanto nutrição oral quanto enteral) e Laboratório de Análises Clínicas, que funciona 24 horas e realiza os exames que investigam os estados de saúde dos pacientes.

    Tecnologia

    Em funcionamento desde o dia 13 de abril, o Hospital de Campanha Municipal Gilberto Novaes utiliza as mesmas tecnologias implementadas na rede de hospitais Samel. É o caso do software de prontuário eletrônico Tasy, um dos mais completos do segmento, que permite a informatização de todas as informações administrativas em um banco de dados.

    Outro diferencial é a "Cápsula Vanessa", carro-chefe do tratamento médico da unidade. Desenvolvida por fisioterapeutas e médicos do Grupo Samel, em conjunto com profissionais do Instituto Transire, a tecnologia permite a ventilação não invasiva (VNI) de pacientes, evitando a entubação orotraqueal precoce. O equipamento funciona como um envoltório para VNI e é produzido em uma armação leve e resistente formada por canos de policloreto de vinila (PVC), podendo ser manuseado e higienizado facilmente. Além de dar maior conforto aos pacientes com um tratamento não invasivo, diminui os riscos de contaminação dos profissionais de saúde.

    A unidade hospitalar também conta com Foto UVC de Superfície (equipamento que conta com 16 lâmpadas UVC de 95W, que garantem a eficiência do processo de desinfecção nos leitos, emitindo uma pequena quantidade de ozônio), raio-x móvel (que facilita o transporte do diagnóstico por imagem) e um tomógrafo de última geração, que tem permitido o diagnóstico precoce das vítimas da Covid-19. Em quase dois meses de operação, o Hospital de Campanha já realizou mais de 1,5 mil tomografias computadorizadas, atendendo tanto pacientes internados quanto encaminhados pela Clínica da Família Carmen Nicolau, localizada nas proximidades.

    Graças a uma equipe multidisciplinar e toda tecnologia utilizada, mais de 520 pacientes internados no hospital já puderam retornar aos seus lares, curados da doença causada pelo novo coronavírus.

    *Com informações da assessoria

    Coronavirus