Fonte: OpenWeather

    Assembleia Geral


    Professores e pedagogos aprovam indicativo de greve na rede estadual

    Decisão foi tomada durante Assembleia Geral Extraordinária e aceita de forma unânime

    Professores e pedagogos são contra retomada das aulas | Foto: Divulgação

    Professores e pedagogos são contra retomada das aulas
    Professores e pedagogos são contra retomada das aulas | Foto: Divulgação

    Manaus - O Sindicato dos Professores e Pedagogos de Manaus (Asprom/Sindical) aprovou neste sábado (1º) o indicativo de greve nas escolas da rede estadual na capital. A decisão foi tomada durante uma Assembleia Geral Extraordinária e aceita de forma unânime entre os presentes. 

    Em nota, a categoria afirmou que o anúncio feito pelo Governo do Amazonas sobre o retorno das aulas no estado, marcado para iniciar no próximo dia 10 de agosto, irá transformar as escolas em "verdadeiros abatedouros". 

    Ainda segundo o comunicado, o plano de retorno das aulas elaborado pelo governo não prevê reformas nas escolas, testagem em massa dos trabalhadores da Educação, ou medidas de controle para o transporte público. A categoria cita ainda o cientista Lucas Ferrante, que afirma que a expansão do coronavírus na capital não está controlada. 

    A data determinada como indicada para a deflagração da greve é o dia 5 de agosto (quarta-feira). Caso o Governo não volte atrás na decisão de retomada das aulas, a categoria fará uma nova Assembleia Geral para deflagrar a greve contra o retorno das atividades presenciais na rede estadual. 

    Na segunda-feira (3), a partir das 8h, a Asprom/Sindical promoverá uma carreata até a Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), com intuito de cobrar uma Audiência Pública para debater os riscos da retomada das aulas presenciais. 

    Leia Mais

    Saiba o que muda no retorno das aulas presenciais em Manaus

    Aulas presenciais na rede estadual retornam dia 10 de agosto em Manaus