Fonte: OpenWeather

    Solidariedade


    Colapso gera comoção mundial, mas AM tem apoio apenas de Venezuela

    Apesar de repercussão mundial sobre o caos no sistema de saúde, população amazonense recebeu ajuda apenas do governo Venezuelano com a disponibilização de oxigênio

     

    Na última quinta-feira (14), o ministro das Relações Exteriores da Venezuela, Jorge Arreaza, comunicou em seu perfil público no twitter que o governo local iria tomar providências para ajudar o Amazonas
    Na última quinta-feira (14), o ministro das Relações Exteriores da Venezuela, Jorge Arreaza, comunicou em seu perfil público no twitter que o governo local iria tomar providências para ajudar o Amazonas | Foto: Michel Dantas/ Secom

    Manaus - Após crise de saúde no Amazonas, com internações batendo recordes, unidades sem oxigênio, o estado foi destaque na imprensa nacional e internacional, apesar disso, apenas a Venezuela ofereceu ajuda ao Estado.

    "Com exceção desse contato da Venezuela, nenhum outro país ofereceu qualquer ajuda nesse sentido. Porque todas as vezes que há qualquer situação relacionada à Amazônia, relacionada ao meio ambiente, há uma comoção mundial de pessoas que vivem lá nos Estados Unidos, na Alemanha, ou onde quer que seja, colocando postagem em rede social e criminalizando o cidadão que mora nessa região", declarou Wilson Lima, em entrevista ao "Brasil Urgente", da TV Bandeirantes.

    Na última quinta-feira (14), o ministro das Relações Exteriores da Venezuela, Jorge Arreaza, comunicou em seu perfil público no twitter que o governo local iria tomar providências para ajudar o Amazonas. "Por instruções do presidente Nicolás Maduro, conversamos com o governador do estado do Amazonas, Wilson Lima, para disponibilizar imediatamente o oxigênio necessário para atender o contingente de saúde em Manaus. Solidariedade latinoamericana acima de tudo!”, afirmou.

    O ministro das Relações Exteriores do país, Jorge Arreaza, afirmou ainda que 107 médicos venezuelanos e brasileiros formados pela Escola Latino-Americana de Medicina de Caracas se ofereceram para ajudar a população.

    Ação e Reação

    Já no Brasil, o presidente Jair Bolsonaro (Sem Partido), disse que a situação do Amazonas em relação ao coronavírus estava “terrível”, e declarou que “fez sua parte, com recursos e meios”.

    "A gente está sempre fazendo o que tem que fazer, né? Problema em Manaus: terrível o problema lá, agora nós fizemos a nossa parte, com recursos, meios", declarou. "O ministro da Saúde [Eduardo Pazuello] esteve lá na segunda-feira, providenciou oxigênio, começou o tratamento precoce, que alguns criticam ainda”, afirmou.

     

    presidente Jair Bolsonaro (Sem Partido), disse que a situação do Amazonas em relação ao coronavírus estava “terrível”, e declarou que “fez sua parte, com recursos e meios”.
    presidente Jair Bolsonaro (Sem Partido), disse que a situação do Amazonas em relação ao coronavírus estava “terrível”, e declarou que “fez sua parte, com recursos e meios”. | Foto: Divulgação

    A imprensa internacional repercutiu a notícia sobre o caos no sistema de saúde de Manaus, com a falta de oxigênio nos hospitais, e médicos e familiares buscarem apoio e equipamentos por conta própria.

     

    BBC: imprensa internacional repercute caos
    BBC: imprensa internacional repercute caos | Foto: Reprodução BBC


     

    The Guardian sobre colapso de saúde no AM
    The Guardian sobre colapso de saúde no AM | Foto: Reprodução Guardian

     

    O site do jornal argentino "Clarín" diz que a situação da epidemia de coronavírus na capital do Amazonas é "desesperadora"
    O site do jornal argentino "Clarín" diz que a situação da epidemia de coronavírus na capital do Amazonas é "desesperadora" | Foto: Reprodução Clarin

     

    O jornal português relembra a primeira onda de casos na capital amazonense
    O jornal português relembra a primeira onda de casos na capital amazonense | Foto: Reprodução Publico

    Colapso na Saúde

    Com o novo grande surto de casos de coronavírus Sars-CoV-2, a demanda por oxigênio hospitalar em estabelecimentos públicos de saúde no estado superou na terça a média diária de consumo em mais de onze vezes, agravando a situação nos hospitais —principalmente naqueles onde são atendidos pacientes com a doença. Além disso, os cemitérios também estão lotados, ampliando o horário de funcionamento inclusive com câmaras frigoríficas. 

    No final do ano passado, comerciantes e empresários fizeram protestos após o governo decretar limitações na circulação: o aumento de casos de Covid já era esperado após as eleições políticas, festas de Natal e Ano Novo.

    Além disso, pacientes estão sendo levados a outros estados para receber atendimento médico. São eles: Goiás, Piauí, Maranhão, Brasília, Paraíba e Rio Grande do Norte. O governo diz ter feito um estudo para que as transferências não sobrecarregassem a rede assistencial desses outros locais.

    Como uma das medidas, o governador Wilson Lima (PSC) anunciou, na última quinta-feira (14), um decreto que proíbe a circulação de pessoas em Manaus entre 19h e 6h. Todas as atividades, exceto serviços essenciais para a vida, também estarão proibidos de abrir.

    Vacinação no AM

    O Amazonas recebeu as primeiras doses da vacina contra a Covid-19, a Coronavac, nesta segunda-feira (18). O Ministério da Saúde destinou 256 mil doses do imunizante ao estado, enquanto o Governo de São Paulo cedeu 50 mil doses. Ao todo, são 306 mil doses destinadas à população amazonense nesta primeira fase da vacinação, com foco no grupo prioritário. 

    Leia Mais:

    Coronavac: vacinação contra Covid-19 é antecipada para hoje no Brasil

    Vacinas contra a Covid-19 começam a ser distribuídas; veja vídeo

    Amazonas vai contar com 306 mil doses da vacina contra Covid-19