Fonte: OpenWeather

    AMEAÇA DE GREVE


    Em novo protesto, professores estaduais fecham avenida na Cidade Nova

    Categoria está sem reajuste salarial desde 2014, e sem qualquer resposta do Governo do Estado. A paralisação também aconteceu em mais 13 municípios do interior do Amazonas

    Paralisação da tarde é uma continuação da ação que aconteceu pela manhã, na Escola Estadual Dom João de Souza Lima, também na Cidade Nova | Foto: Divulgação

    Manaus - Professores e pedagogos da rede estadual de ensino paralisaram as atividades e o trânsito no fim da tarde desta terça-feira (13). Os profissionais fecharam a avenida Noel Nutels, próximo ao Terminal 3, na Cidade Nova, zona Norte de Manaus. Eles aguardam uma posição do governador Amazonino Mendes para uma proposta de reajuste salarial para a classe, fato que não ocorre há mais de quatro anos.

    “É paralisação de advertência. Queremos ser ouvidos pelo governador e queremos que ele apresente uma proposta para a categoria”, explica o presidente do Sindicato dos Professores e Pedagogos de Manaus (Asprom-Sindical), Lambert Melo.

    Leia mais: Professores paralisam trabalhos em Manaus e em 13 municípios do AM

    “A categoria está no limite da paciência! Temos tentado negociar com o Governo do Estado, mas não dão resposta. Agora, nós estamos radicalizando. Se o governador não der resposta até amanhã, nós vamos nos reunir em assembleia, onde a pauta será a greve por tempo indeterminado, e vamos decidir pela greve”.

    A paralisação de advertência na avenida Noel Nutels é uma continuação da ação que aconteceu pela manhã, na Escola Estadual Dom João de Souza Lima, também na Cidade Nova. O reajuste salarial reivindicado pela categoria é de 35%.

    “Nós estamos desde 2014 sem reajuste salarial, a nossa data-base está vencida desde o dia 1° de março, e nós também estamos reivindicando outras questões da carreira do magistério”, afirma o sindicalista.

    Veja a mobilização na zona Norte

    Professores e pedagogos da rede estadual de ensino paralisaram as atividades e o trânsito nesta terça-feira (13), na avenida Noel Nutels, próximo ao Terminal 3, na Cidade Nova, zona Norte de Manaus. | Autor: Em Tempo


    Cerca de 600 professores de Manaus e de outros 13 municípios do interior do Amazonas, como Parintins, Tabatinga, Iranduba, Ipixuna, Boca do Acre, Tefé, Coari, entre outros, participam do movimento.

    “Esses professores são a base do movimento. Se eles entrarem em greve, praticamente todos os outros servidores do Estado vão parar também. Afinal, o governo está intransigente com a categoria”.

    Edição: Bruna Soouza

    Leia também

    Obras na Djalma devem estar prontas na terça-feira (13)

    Cota única do IPTU com desconto vence nesta quinta-feira

    Motoristas da Uber eram alvos preferidos de trio preso, diz polícia