Fonte: OpenWeather

    Vestibular


    Universidades de Manaus aderem ao vestibular em casa durante pandemia

    Facilidade de correção, maior alcance geográfico e eliminação do processo de impressão de provas físicas contribuem para sucesso do modelo

    Com apenas um computador conectado à internet, universidades particulares conseguem realizar seus vestibulares | Foto: Brayan Riker

    Manaus (AM) - Alguns estudantes do Amazonas já desistiram de fazer as provas presenciais do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que vão ocorrer na próxima terça (23) e quarta-feira (24), por conta da pandemia da Covid-19. A ideia do Ministério da Educação (MEC) é modernizar a prova para a versão digital apenas em 2026. Enquanto isso, as universidades privadas da capital amazonense buscam maneiras de realizar processos seletivos à distância. A facilidade de correção, maior alcance geográfico e eliminação do processo de impressão de provas físicas contribuem para o sucesso do modelo. 

    A aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) foi cercada de reviravoltas. No restante do Brasil, muitos alunos pediram inclusive o adiamento das provas aplicadas em janeiro. E ainda assim o MEC aplicou as provas nos dias 17 e 24 de janeiro. O resultado disso foi um número recorde de abstenção: com 93.079 inscritos, 66.370 se ausentaram e apenas 26.709 realizaram a prova, o que totaliza 71,3% de abstenção dos estudantes no Enem presencial.

    Em relação a aplicação do Enem digital, que foi realizado nos dias 31 de janeiro e 7 de fevereiro, a abstenção também foi alta: de 68,1%. Do total de 5.523.029 inscritos no exame, menos da metade, 2.470.396, compareceu aos locais de prova no segundo dia. No primeiro dia a abstenção foi de 51,5% dos inscritos.

    Priscila Silva entrará nessa estatística quando os números de Manaus somarem a estes. As provas que serão nos próximos dias no Amazonas não contará com a estudante que deseja cursar Direito. “Sou asmática e tenho medo do vírus. Não contraí o vírus e estou me cuidando ao máximo. Já sabia até a escola que eu faria a prova. Mas não irei”, afirma a estudante.

    Entre acertos e desafios

    Em Manaus, até por conta do Enem ainda não ter sido realizado, algumas universidades buscaram maneiras de realizar seus processos seletivos à distância com o intuito de aderir alunos. A facilidade que o vestibulando tem para a aplicação de um teste em sua casa, tem sido ações de instituições de ponta na cidade como Faculdade Santa Teresa e Fametro.

    Desde que a pandemia do novo coronavírus chegou a Manaus, a Faculdade Metropolitana de Manaus (Fametro) se adapta à recepção de seus alunos. “Começamos o vestibular em abril de 2020 para quem estava ingressando no curso de medicina. Obtivemos sucesso e aplicamos também para outros cursos a partir de maio”, afirma Meyer Abecassis, coordenador comercial da Fametro. Segundo Abecassis este tipo de vestibular inovou também outro processo para a instituição. “Esse ano conseguimos fazer com que o processo de matrícula seja todo on-line. O candidato nem precisa mais sair de casa para começar a estudar”, conta.

    Outra instituição de ensino que se adaptou em Manaus por conta da pandemia da Covid-19, a Faculdade Santa Teresa, investiu em uma plataforma on-line. “O nosso vestibular macro é composto por questões objetivas. O candidato pode fazer o teste de casa e recebe o resultado em até 24 horas”, conta Amanda Estald, diretora-geral da Faculdade Santa Teresa.

    Futuro aluno da instituição Fametro, matriculado no curso de fisioterapia, o estudante Paulo Vasconcelos realizou uma prova de vestibular pela primeira vez. Com dezoito anos de idade, Paulo irá presenciar um universo de tecnologia. “Não precisei sair de casa, fiz todo o processo do computador da minha casa. Meus estudos seguirão assim”, afirma o estudante.

     

    Este ano por conta do isolamento social, instituições de ensino privada investiram ainda mais em plataformas on-line
    Este ano por conta do isolamento social, instituições de ensino privada investiram ainda mais em plataformas on-line | Foto: Divulgação

    Rigidez na aplicação 

    Em todo o Brasil, a Fundação Getúlio Vargas (FGV) tem sido referência sobre vestibular on-line. Desde 2020 o modelo da avaliação virtual aplicado é o mesmo da prova aplicada presencialmente e os candidatos possuem dois módulos objetivos e dois discursivos.

    No momento do teste o candidato deverá estar conectado on-line, 30 minutos antes do início da prova, portando documento de identificação com foto. Ao longo da realização das provas, a FGV também faz a identificação facial do candidato por meio de webcam, para manter a legitimidade do processo.

    Para o pró-reitor da FGV, Antônio Freitas, uma grande vantagem de se realizar vestibulares on-line é a possibilidade de também selecionar alunos distantes de grandes centros urbanos. “O nosso vestibular deixou de ser um exame da Zona Sul do Rio de Janeiro para um exame nacional, já que qualquer pessoa de outra cidade com um computador pode participar do vestibular”, conta ele.

    A gestora educacional e especialista em processos seletivos, Ludymilla Rondon, explica que a pandemia trouxe desafios, mas fez com ocorresse um grande avanço nas aplicações de provas on-line. “A partir do momento em que há situações suspeitas, é possível mapear outros sinais, outras orientações para embasar se for necessário a desclassificação”, afirma ela.

    Vestibular da UEA em maio

    Em outra realidade das universidades particulares, as instituições públicas de ensino tendem a dar continuidade nos vestibulares presenciais nos próximos dias. É o caso da Universidade do Estado do Amazonas (UEA).

    Com estimativas de que a pandemia do novo coronavírus seja freada em breve, na última sexta (19) o Conselho Deliberativo votou, por unanimidade, que o calendário escolar volte presencialmente e digitalmente no dia 3 de maio, conforme o Portal da UEA.

    O vestibular que ocorre nos dias 30 e 31 de maio terá suas provas feitas presencialmente em lugares que ainda serão definidos.  O Sistema de Ingresso Seriado (SIS) vai ser aplicado no dia 1º de junho também presencialmente. Ambas as provas pertencem ao vestibular 2020 acesso 2021.

    O EM TEMPO tentou receber alguma resposta, por meio da assessoria, quanto à possibilidade futura da realização de vestibulares digitais, mas até o fechamento desta matéria não obtivemos respostas.

    Para a gestora educacional  Ludymilla Rondon, universidades públicas tendem a ter menos aderências ao vestibular digital. “Eu não consigo enxergar, a curto e médio prazo, vestibulares de universidades públicas aplicadas de forma on-line. Acho que essas ferramentas devem cair mais nessa rotina de uso para que depois estas universidades coloquem isso na prática. Mas eles possivelmente irão aderir ao vestibular digital que tem mais celeridade, com um software próprio que só fica ativo enquanto o aluno está com a tela aberta. O vestibular on-line abre brechas para que o candidato obtenha informações enquanto faz a prova”.

    O futuro do Enem

    A equipe do EM TEMPO buscou também informações sobre o futuro do Enem junto ao Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), autarquia federal que aplica o Exame Nacional do Ensino Médio. O Enem digital teve sua primeira prova aplicada este ano.

    Em nota, a assessoria de imprensa informa que o Enem Digital será aplicado juntamente com o Enem impresso nos próximos anos. Em 2026 o Enem Digital será o padrão, com o fim das provas impressas.

     

    Provas em papel devem continuar sendo aplicadas até 2025
    Provas em papel devem continuar sendo aplicadas até 2025 | Foto: Divulgações

    Leia Mais

    Veja como está sendo o retorno dos alunos do AM às aulas remotas

    Faculdade Santa Teresa realiza vestibular online

    Suspenso no AM, primeiro dia do Enem é realizado hoje no resto do país