Fonte: OpenWeather

    tendência mundial


    Faculdades de medicina substituem cadáveres por tecnologia 3D

    Campinas, São José do Rio Preto, Rio Claro, Bauru, Araçatuba, Ribeirão Preto, São José dos Campos e Franca passam a utilizar plataformas digitais de dissecação virtual em cursos de formação médica

    A plataforma multidisciplinar 3D é da Csanmek, startup brasileira especializada em sistemas e soluções para o mercado educacional. | Foto: Divulgação

    São Paulo – As faculdades de medicina do interior de São Paulo querem eliminar de vez o uso de cadáveres em salas de aula. Oito instituições paulistas de ensino superior adquiriram recentemente simuladores digitais 3D de estudos anatômicos. A aquisição da tecnologia segue a tendência mundial de trocar corpos humanos e eliminar o sacrifício animal em cursos de formação médica.

    Trata-se da plataforma multidisciplinar 3D da Csanmek, startup brasileira especializada em sistemas e soluções para o mercado educacional, utilizado atualmente em 50 cursos de medicina e veterinária no Brasil, além de instituições dos Estados Unidos, México e Peru. 

    A plataforma oferece aos alunos a possibilidade de estudos de casos clínicos e exames reais de pacientes, pois permite que os professores convertam tomografias e ressonâncias magnéticas em clones virtuais 3D, com acesso total e irrestrito a anatomia real. Funciona como uma mesa que exibe modelos tridimensionais altamente detalhados e anatomicamente corretos de todos os sistemas do corpo humano. 

    Leia também: Operação Constantinopolis caça traficantes na Zona Sul de Manaus

    O simulador, que pode custar entre R$ 200 mil e R$ 400 mil, utiliza algumas linhas de atlas anatômicos e fisiológicos, com mais de 5 mil estruturas anatômicas identificas, incluindo todos os órgãos e sistemas do corpo masculino e feminino, e pode ser usada em cursos de medicina, veterinária e demais áreas da saúde. 

    Segundo o fundador da Csanmek, Claudio Santana, a solução foi desenvolvida por uma equipe amplamente qualificada, com décadas de experiência em diagnósticos e imagens médicas. "Apesar de ser um equipamento para educação, a plataforma 3D também é utilizada por médicos e profissionais da saúde no dia a dia, para melhorar o aprendizado e compreensão das estruturas anatômicas reais e modeladas", comenta Santana. 

    Instituições do interior de SP que utilizam a tecnologia

    - Ação Educacional Claretiana – Rio Claro

    - Anbar Ensino Técnico e Superior – São José do Rio Preto

    - Centro Universitário Unifacef – Franca

    - Universidade Nove de Julho (Uninove) – Bauru

    - Missão Salesiana de Mato Grosso – Araçatuba

    - Organização Educacional Barão de Mauá – Ribeirão Preto

    - São José dos Campos Educacional – São José dos Campos

    - Sociedade Regional de Ensino e Saúde - Campinas

    Edição: Lívia Nadjanara

    Leia mais:

    Corpo de mulher seminu é encontrado em terreno de UBS, em Manaus

    Mulher é executada com 16 tiros e corpo é 'desovado' no Japiim

    Após colisão, carro capota e congestiona trânsito na avenida Boulevard