Fonte: OpenWeather

    Pescado


    Cientista descobre característica única no pirarucu

    Entre as descobertas, observou-se que o peixe muda sua diversidade genética de acordo com a região em que habita

    A pesquisa mostrou que mais de 400 proteínas são secretadas pelo peixe nativo brasileiro | Foto: Divulgação

    O maior peixe de escamas que vive em água doce do planeta, o pirarucu, originário das bacias amazônicas, sempre despertou interesse e curiosidade, principalmente em estudiosos. Recentemente o pescado esteve mais uma vez em destaque  após uma  descoberta envolvendo o gigante da água doce. 

    O cientista brasileiro e pesquisador da Embrapa Pesca e Arquitucultura (To),   Lucas Simon Torati,  descobriu que o pirarucu adulto secreta pela cabeça prováveis feromônios, além de proteínas e peptídeos.

    A pesquisa mostrou que mais de 400 proteínas são secretadas pelo peixe nativo brasileiro. A descoberta pode ser vista na revista Científica Plos One.

    Leia também: Apple vai dar R$ 300 de desconto em troca de bateria

     Lucas Torati, observou durante os estudos que a secreção possivelmente seja também fonte de alimentos para os alevinos. 

    O estudo apontou ainda que a secreção teria feromônios que auxiliam na atração para o acasalamento. Isso faz do pirarucu um peixe ainda mais único, pois as outras espécies, ao contrário dele, liberam o feromônio pelo sêmen ou pela urina.

    A diversidade genética também entrou no estudo do pesquisador Torati. A pesquisa mostrou que espécies do Rio Amazonas e Solimões possuem diversidades genéticas bem maiores que as espécies do Rio Araguaia, já as espécies que habitam a região do Tucuruí ficam na faixa intermediária.

    A ideia é utilizar a descoberta para futuras identificações de reprodutores tais como notar mais facilmente suas características. 

    Leia mais: 

    Quais alimentos podem contribuir para câncer do estômago?

    Cadê a educação? Manauenses deixam 106 toneladas de lixo nas ruas

    Massacre em presídio do AM um ano depois: saiba como está o inquérito