Fonte: OpenWeather

    Educação


    Projeto de robótica representa escola de Manaus no exterior

    Projeto de educação e tecnologia aproxima a escola da comunidade e vira motivo de orgulho para o bairro de Tancredo Neves

    A equipe ficou na 34ª colocação entre 118 grupos do mundo todo e conquistou o reconhecimento de seu protagonismo por toda a capital
    A equipe ficou na 34ª colocação entre 118 grupos do mundo todo e conquistou o reconhecimento de seu protagonismo por toda a capital | Foto: Divulgação

    Manaus -Como a tecnologia, aliada à educação, é capaz de incentivar a preservação de uma espécie da fauna brasileira, além de unir toda a comunidade em prol de um projeto infanto-juvenil? Essa é a história de transformação vivida por alunos do 9º ano do Ensino Fundamental da Escola Municipal Jorge de Resende Sobrinho, em Manaus (AM). 

    Localizada no bairro de Tancredo Neves, o local era alvo de furtos e invasões. Mas essa relação com a comunidade mudou quando um grupo de estudantes criou oficinas de robótica, iniciativa que levou, pela primeira vez, uma escola da região Norte do Brasil a disputar uma competição internacional no segmento. Por aqui, o "Automação e Robótica Educacional" foi um dos destaques do Desafio Criativos da Escola, em 2017.

    Novo Projeto 

    Atualmente, as aulas de robótica contam com 118 alunos, que já inscreveram um novo projeto no First Lego League de 2018, que tem como tema a importância da água. Desta vez, eles concorrem às classificatórias com o Smart Cup, um copo inteligente que a partir de informações sobre o peso e a idade de uma pessoa, avisa a quantidade de água que precisa ser ingerida para evitar desidratação.

    Desta vez, eles concorrem às classificatórias com o Smart Cup, um copo inteligente que a partir de informações sobre o peso e a idade de uma pessoa, avisa a quantidade de água que precisa ser ingerida para evitar desidratação.

    Participação em 2017

    A vontade de alguns estudantes em participar do torneio internacional First Lego League (FLL), voltado para jovens de 9 a 16 anos, fez com que a direção da escola comprasse kits de robótica para que eles criassem soluções tecnológicas. Equipamentos e pesquisadores juvenis prontos, hora de pensar em um projeto para a competição: o tema escolhido foi sauim-de-coleira, espécie de sagui nativa da região amazônica, ameaçada de extinção e desconhecida por boa parte dos manauaras. 

    Por meio da criatividade dos alunos, o macaco virou tema de um jogo lúdico, que promoveu a conscientização sobre a importância de preservá-lo entre crianças e adultos.

    O jogo venceu as etapas regional e nacional do First Lego League, feitos que classificaram o time de Manaus para o nível internacional da competição, na Dinamarca, em maio de 2017. A notícia foi celebrada pela comunidade que se mobilizou para levantar os recursos para a viagem do grupo. 

    A equipe ficou na 34ª colocação entre 118 grupos do mundo todo e conquistou o reconhecimento de seu protagonismo por toda a capital. Atualmente, as aulas de robótica contam com 118 alunos, que já inscreveram um novo projeto no First Lego League de 2018, que tem como tema a importância da água. 

    Leia mais:

    Universitários inovam com projeto de robótica em escola do Amazonas

    Equipe Sesi representa Amazonas em torneio de robótica

    Rio Negro: 5 curiosidades sobre o maior rio de águas pretas do mundo