Fonte: OpenWeather

    Internet


    Esperança para os solteiros: casais se formam pelas redes sociais

    Aplicativos como Tinder, Facebook e WhatsApp são alternativas para os 'solteirões' em Manaus

    Da sala de bate-papo para a vida real: Casal está junto há 17 anos e criam dois filhos | Foto: Reprodução/ Facebook

    "Apps" para paquera e namoro estão formando casais e famílias | Autor: Gabriel Costa/ Janailton Falcão

    Para quem terminou o ano de 2017 solteiro: calma, ainda há esperança! Já baixou seu "App" hoje? Os aplicativos estão gerando namoros, casamentos e até famílias, é o que revela a história de vários casais após se conhecerem em sites ou aplicativos de relacionamento. Os "Apps" estão transformando a relação íntima humana e quem aproveita são os solteiros, que estão utilizando esse mecanismo para conhecer pessoas e ter um namorado (a).

    Em meio a copa do mundo de 2014, onde as festas marcaram a cidade de Manaus, surgia um relacionamento via Facebook. Sem amigos em comum e apenas por sugestão da rede social, a universitária Mirella Oliveira e o analista Eduardo Oliveira, ambos de 26 anos, criaram um vínculo de amizade no Facebook e passaram a ter conversas que duraram quase três meses, até que eles decidiram se encontrar pessoalmente.

    Na Copa do Mundo 2014, o casal se conheceu pelo Facebook e hoje tem uma filha de dois anos
    Na Copa do Mundo 2014, o casal se conheceu pelo Facebook e hoje tem uma filha de dois anos | Foto: Reprodução/ Facebook

    “Eu que adicionei ele e ele puxou conversa. Depois de três meses de conversas e dois encontros que eu desmarquei, enfim nos conhecemos pessoalmente e começamos a namorar. Em 2015 eu engravidei e dois meses depois casamos. Quando a gente menos espera, encontra a pessoa certa”, relatou Mirella.

    Os dois tem uma menina de dois anos, mesmo tempo de relacionamento e se dizem feliz pelo relacionamento que construíram.

    O Orkut pode até ter “morrido”, mas além de saudades deixou relacionamentos duradouros. O casamento que começou na plataforma extinta já dura 10 anos. A grastrônoma Branca Perdigão, de 41 anos, e o montador de móveis André Rodrigues, de 28 anos, enfrentaram o preconceito da idade, mas não deixaram que o fato abalasse o relacionamento.

    “Foi em 2007 que começamos a nos falar e em março de 2008 nos vimos pessoalmente. Na época, além do Orkut, a gente se falava pelo Menssenger. Fui até à Lan House que ele trabalhava e peguei ele de surpresa com uma caixa de chocolate, que não era nem para mim. Ele tinha uma namorada e estava à espera dela, eu perguntei se eram pra mim e ele meio sem jeito disse que sim. Enfim, diziam que eu era velha pra ele e eu tinha uma filha de 12 anos, mas continuamos a nos relacionar e estamos juntos até hoje”, contou Branca.

    Hoje em dia, apenas Branca possui redes sociais, o esposo preferiu deixar os site "de lado"
    Hoje em dia, apenas Branca possui redes sociais, o esposo preferiu deixar os site "de lado" | Foto: Reprodução/ Facebook

    Com o término do Orkut, André decidiu abandonar perfil em rede social. Já Branca migrou para o Facebook. No entanto, ela compartilha o próprio perfil com o marido, para que ele se mantenha informado sobre os assuntos. 

    Site de bate-papo

    Década de 90 foi a época que a internet começou a “bombar" no Brasil. As salas de bate-papo reuniam pessoas de todos os cantos do país em salas divididas por assunto. Em uma dessas salas, uma amazonense e um paulista se conheceram e a amizade acabou em casório.

    Casados há 17 anos, o casal se conheceu em uma sala e bate-papo na internet
    Casados há 17 anos, o casal se conheceu em uma sala e bate-papo na internet | Foto: Reprodução/ Facebook

    Imagine você naquele ano, em que Manaus e São Paulo pareciam mais distantes que agora, e ainda sem tantos recursos disponíveis como os de hoje, em que é possível enviar vídeos, fotos, entre outros arquivos com facilidade. Para ver fotos um do outro, o administrador Mário Delgado, de 41 anos, e a secretária executiva, Joasiane Delgado, de 41 anos, enviavam cartas e fotos pelo correio.

    “Eu entrei na sala de bate-papo, que conheci através de um amigo que estava lá também, e ela usava o apelido de 'Zila'. Depois de uns três meses conversando e enviando cartas pelo correio, eu resolvi vim para Manaus. Fiquei numa pousada no Centro da cidade por uma semana e, na semana seguinte, meus sogros foram me buscar e fiquei na casa deles. Aquilo foi muito estranho pra mim, porque ninguém faz isso em São Paulo. Voltei pra São José dos Campos e três meses depois retornei à capital amazonense, nos casamos e estamos juntos até hoje”, contou Mário aos risos.

    Para a esposa Josiane, foi algo inacreditável. "Eu já tinha um filho de outro relacionamento e não imagina que um futuro esposo seria capaz de vim até Manaus para me conhecer".

    "Eu não acreditava que ele ia vim pra cá e não dei muito crédito. Eu ia encontrar com ele na pousada, até porque eu tinha medo, mas pensei nos planos que poderiam estar guardados para mim. Tomei coragem e fui vê-lo. Então ele me olhou e disse: 'vim para pedir sua mão em casamento para seus pais'. Tudo muito surreal", explicou Josiane.

    Da sala de bate-papo para a vida real: Casal está junto há 17 anos e criam dois filhos
    Da sala de bate-papo para a vida real: Casal está junto há 17 anos e criam dois filhos | Foto: Reprodução/ Facebook

    O casal está junto há 17 anos e o relacionamento gerou uma menina que hoje tem 16 anos. Além dela, Josiane tem um filho de 20 anos do primeiro relacionamento. Mário finalizou dizendo que o período de adaptação foi difícil, mas o amor pela esposa superou tudo. “Eu vim na cara e na coragem e pelo amor que eu sentia por ela”.

    Um dos mais atuais sites de relacionamento é o Tinder. Jovens tímidos, como é o caso da jornalista Giselle Hollanda, de 22 anos, veem o aplicativo como uma alternativa para conhecer pessoas. Hoje ela namora o concurseiro Leonardo Ferreira, de 24 anos, há oito meses.

    Giselle Hollanda conta que está ansiosa para o um ano de namoro depois de encontrar o par no Tinder
    Giselle Hollanda conta que está ansiosa para o um ano de namoro depois de encontrar o par no Tinder | Foto: Reprodução/ Facebook

    “A gente deu 'macth', trocamos WhatsApp e em duas semanas a gente resolveu se ver pessoalmente. Fomos ao shopping, pois 0ou muito medrosa e um local público seria bem mais apropriado. Fomos ao cinema assistir 'Power Rangel' e foi hilário ver aquele filme no primeiro encontro. Aí deu tudo certo. Eu gostei dele e passou um mês e começamos a namorar”, finalizou Giselle.

    Giselle relatou que o namorado entrou no App para namorar e que ela não acreditava muito nos relacionamentos por esse meio, mas que está feliz por ter tido coragem.

    Dicas de Segurança

    - Se marcar um encontro vá para um local público com movimentação de pessoas;

    - Avise a um amigo sobre data, local e hora que terá o encontro com um desconhecido;

    - Não delete conversas, elas podem servir no futuro em caso de comprovações;

    - Verifique se há amigos em comum. Serve para confirmar informações;

    - Não divulgue dados pessoais (endereços, números de documentos, etc.) em redes sociais (Facebook, Twitter, etc.);

    - Se ainda sim for vítima de crimes na internet, denuncie no telefone 181. 

    Mais dicas podem ser obtidas no site da Polícia Civil do Amazonas: https://www.delegaciainterativa.am.gov.br.

    Edição: Isac Sharlon

    Leia mais:

    EM TEMPO faz cobertura especial do Réveillon 2018; confira detalhes

    Mulher esfaqueia vizinha no pescoço e é amarrada por populares

    Polícia reforça policiamento em hospitais de Manaus