Fonte: OpenWeather

    Amazônia


    Rio Negro: 5 Curiosidades sobre o maior rio de águas pretas do mundo

    "Logo após o encontro das águas, se fizer uma coleta de água a alguns metros abaixo da superfície onde ainda é possível ver o rio Negro, é comum encontrar água do Solimões", disse a pesquisadora do Inpa, Domitila Pascoaloto

    "Logo após o encontro das águas, se fizer uma coleta de água a alguns metros abaixo da superfície onde ainda é possível "vê" o rio Negro, é comum encontrar água do Solimões", disse a pesquisadora do Inpa, Domitila Pascoaloto | Foto: Fernanda Farias

    Ele tem cor de coca-cola e a escolha principal de muitas pessoas como destino para se refrescar nos fins de semana na cidade de Manaus. O que muitos banhistas não sabem é que, um dos afluentes do rio Amazonas, guarda muitos mistérios.

    E para desvendar alguns deles, a pesquisadora do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), Domitila Pascoaloto, explicou várias curiosidades ao EmTempo, sobre o maior rio de águas pretas do mundo, o rio Negro.

    São curiosidades desde as nascentes de águas claras, passando pelo misterioso Encontro das Águas, até desaguar nas águas salgadas do oceano atlântico.

    1. O rio Negro nasce de águas subterrâneas na Colômbia

    O rio Negro nasce na serra do Junai, na Colômbia, onde  é chamado de rio Guainia.  Segundo Pascoaloto, ele nasce a cerca de 1600 m de altitude, e vem do afloramento de água subterrânea, portanto  águas claras. “No entanto, pouco depois, com a decomposição das folhas e galhos da floresta, ao decorrer do trajeto, ele fica escuro. É o que acontece, por exemplo, na nascente do igarapé Acará, aqui em Manaus, na Reserva Ducke”, comentou.

    Uma das maiores cheias de todos os tempos foi em 2012, onde o nível do rio chegou a incrível marca de  29, 87 metros.
    Uma das maiores cheias de todos os tempos foi em 2012, onde o nível do rio chegou a incrível marca de 29, 87 metros. | Foto: Fernanda Farias


    2. Desgelo dos Andes é responsável pela época de cheia do rio Negro

    Todo ano acontece a cheia e a vazantes dos rios da região amazônica. E um dos responsáveis é o desgelo que acontece lá nos Andes, nascente do rio Amazonas. Aliado à época de chuvas, o nível do rio Negro chega a níveis muito altos. Uma das maiores cheias de todos os tempos foi em 2012, onde o nível do rio chegou a incrível marca de  29, 87 metros.

    3. Restos de folhas e galhos formam a sua cor preta

    Segundo a pesquisadora, aquela cor escura que parece coca-cola é devido à decomposição das folhas e galhos das árvores na floresta. Funciona assim, as minhocas e algumas bactérias decompõem a matéria orgânica (floresta), fazem uma espécie de digestão com esses resíduos, o que forma o húmus, que é considerado um adubo.“Quando acontece a decomposição desse húmus, ele começa a liberar o ácido húmico e o ácido fúlvico,  que são os grandes responsáveis pela tonalidade escura do rio Negro”, explicou.

     Cor escura que parece coca-cola é devido a decomposição das folhas e galhos das árvores na floresta
    Cor escura que parece coca-cola é devido a decomposição das folhas e galhos das árvores na floresta | Foto: Fernanda Farias

    4. É possível encontrar água do Rio Solimões em muitas partes do rio Negro

    Sabemos que o rio Negro não se mistura com o rio Solimões, e o fenômeno conhecido mundialmente como “encontro das águas” acontece por alguns motivos:

    1.  Velocidades diferentes: Rio Negro 2km/h. Rio Solimões 4km a 6km/h

    2. Temperatura diferente: Rio Negro 28 graus. Rio Solimões 22 graus.

    3. Material orgânico diferentes: Rio Negro algas e vegetação aquática. Rio Solimões erosão do solo.

    Mesmo eles não se misturando nesta parte do encontro, a pesquisadora garante que é possível encontrar água do rio Solimões no rio Negro.

    “O Solimões tem maior profundidade e volume de água. Corre cerca de três vezes mais rápido do que o rio Negro. Já o rio Negro tem a temperatura mais alta, o que faz com que sua densidade seja menor. Por essa razão, o rio Solimões acaba "atropelando" o rio Negro. Logo após o encontro das águas, se fizer uma coleta de água a alguns metros abaixo da superfície, onde ainda é possível ver o rio Negro, é comum encontrar água do Solimões, principalmente no período da cheia do rio Solimões, nos arredores de Manaus, no baixo Solimões”.

    Mesmo eles não se misturando nesta parte do encontro, a pesquisadora garante que é possível encontrar água do rio Solimões no rio Negro.
    Mesmo eles não se misturando nesta parte do encontro, a pesquisadora garante que é possível encontrar água do rio Solimões no rio Negro. | Foto: Fernanda Farias

    5. O rio Negro ajuda o Rio Amazonas a se formar

    O colossal rio Amazonas, maior rio do mundo em extensão de água, é formado por dois principais rios, o rio Solimões e claro, o rio Negro. A nascente acontece na cordilheira dos Andes, no Peru, onde recebe vários nomes, ao longo do percurso até chegar em território brasileiro. No Brasil, ele é nomeado de rio Solimões, até que, ao se juntar com o rio Negro, transforma-se no caudaloso rio Amazonas, que segue até o Amapá, para desaguar no Oceano Atlântico. 


    Leia mais: 

    Maior soltura da história devolve dez peixes-bois aos rios da Amazônia
    Revista Científica abre inscrições para artigos sobre ornitologia 
    150 filhotes de tartarugas são soltos na natureza em reserva indígena 
    Extinção de animais gigantes prejudicou distribuição de sementes