Fonte: OpenWeather

    Internacional


    Jornalista usou sangue de porco e maquiagem para simular própria morte

    O jornalista revelou que o serviço secreto simulou sua morte para tentar capturar quem realmente pretendia assassiná-lo

    O jornalista revelou na quarta-feira (30) que o serviço secreto simulou sua morte para tentar capturar quem realmente pretendia assassiná-lo. | Foto: Divulgação

    São Paulo - Para simular a morte do jornalista russo Arkadi Babchenko agentes secretos ucranianos usaram sangue de porco para parecer que era o dele, fizeram disparos em sua camiseta e até mesmo o levaram ao necrotério. 

    O jornalista revelou na quarta-feira (30) que o serviço secreto simulou sua morte para tentar capturar quem realmente pretendia assassiná-lo. 

    Um dos mais conhecidos jornalistas russos e um duro crítico do Kremlin, Babchenko, de 41 anos, deixou a Rússia em fevereiro de 2017 por causa de ameaças de morte.

    Um mês atrás, agentes ucranianos o procuraram dizendo que havia um complô para assassiná-lo.

    As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia mais: 

    Em Marcha para Jesus, Bolsonaro é vaiado após discurso 

    Duas vítimas ficam presas às ferragens em choque de veículos na BR-174 

    PF deflagra operação para reprimir prática de locaute em rodovias