Protestos americanos


Mulheres protestam contra indicação de Trump à Suprema Corte

Entre as principais reinvindicações estão a suspensão da indicada do presidente à Suprema Corte e que ele não seja reeleito

Amy Barrett é considerada uma juíza conservadora e sua predecessora era liberal | Foto: Anna Moneymaker-Pool / AFP

Amy Barrett é considerada uma juíza conservadora e sua predecessora era liberal
Amy Barrett é considerada uma juíza conservadora e sua predecessora era liberal | Foto: Anna Moneymaker-Pool / AFP

Milhares de mulheres foram às ruas, neste sábado (17), em protesto para que o Senado suspenda o processo de aprovação de Amy Barrett à Suprema Corte e pedindo para que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, não seja reeleito. A juíza, considerada conservadora, foi indicada pelo presidente e poderá ser nomeada antes das eleições no país.

Os protestos aconteceram em Washington, onde fica a sede do governo americano, e em outras cidades do país. Além de criticar a indicação, as manifestantes também homenagearam a juíza Ruth Bader Ginsburg, que morreu há menos de um mês e era líder da ala liberal. 

As manifestações foram inspiradas na primeira Marcha das Mulheres em Washington, uma grande mobilização contra o presidente, que aconteceu um dia depois de ele ter assumido cargo, em 2017.

Leia mais

Brasil e EUA assinam na próxima semana pacote para facilitar comércio

Pela primeira vez, uma mulher irá dirigir o comércio mundial