Fonte: OpenWeather

    Estados Unidos


    Ex-aluno de escola na Flórida mata 17 pessoas em crime bárbaro

    O atirador havia sido expulso da escola por motivos disciplinares e agiu sozinho, conforme autoridades locais

    Crime é investigado pela polícia norte-americana. | Foto: Divulgação

    Flórida (EUA) - Após deixar mortos e feridos em uma escola em Parkland, na Flórida, o atirador Nicolas Cruz, um ex-aluno da Stoneman Douglas High School, foi detido nesta quarta-feira (14). O homem, de 19 anos, é ex-aluno da instituição de ensino. O xerife do condado de Broward, Scott Israel, disse que 17 pessoas morreram.

    Segundo Scott, 12 pessoas foram mortas dentro da escola; 2 fora do prédio; 1 em uma rua próxima e 2 morreram no hospital.

    O atirador havia sido expulso da escola por motivos disciplinares e agiu sozinho. Um alarme de incêndio foi disparado por volta das 14h, pouco antes do final das aulas, e os tiros começaram em seguida.

    O jornal "Miami Herald" conversou com professores e alunos que conhecem Cruz e dizem que ele era considerado uma pessoa problemática, que ameaçava colegas e não tinha autorização para entrar no prédio portando mochilas. Segundo o professor de matemática Jim Gard, o jovem chegou a receber uma solicitação para deixar o local no ano passado.

    Leia também: Menina de 9 anos no Peru dá à luz a própria irmã

    A Casa Branca informou que o presidente Donald Trump foi comunicado rapidamente sobre o caso. O presidente postou uma mensagem sobre o assunto no Twitter. "Nenhuma criança, professor ou qualquer outra pessoa jamais deveria se sentir insegura em uma escola americana", escreveu.

    A polícia de Coral Springs está pedindo que as pessoas continuem evitando a região da Marjory Stoneman Douglas High School. Um hotel nas proximidades foi usado como ponto de encontro entre alunos e seus pais.

    Imagens de TV mostraram mais cedo diversos estudantes deixando o prédio, escoltados por agentes da SWAT. Agentes do FBI também estão no local.

    A polícia de Coral Springs está pedindo que as pessoas continuem evitando a região da Marjory Stoneman Douglas High School. Um hotel nas proximidades foi usado como ponto de encontro entre alunos e seus pais.

    Imagens de TV mostraram mais cedo diversos estudantes deixando o prédio, escoltados por agentes da SWAT. Agentes do FBI também estão no local.


    Leia mais:

    Preço da gasolina pode ser cobrado até R$ 7,16 nesta sexta-feira

    Presos suspeitos de matar e esquartejar ex-presidiário em Parintins

    Receita de Camarão à milanesa e Bolo Luiz Felipe