Fonte: OpenWeather

    Cotidiano


    Irã representa ameaça maior que Estado Islâmico, diz premiê de Israel

    Um Irã com arma nuclear representaria uma ameaça bem maior ao mundo do que os militantes do Estado Islâmico que têm conquistado territórios na Síria e no Iraque, disse o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, em discurso nesta segunda-feira firmou na Assembleia Geral da ONU .

    "Não se enganem, o EI (Estado Islâmico) precisa ser derrotado", disse Netanyahu em discurso à Assembleia Geral da ONU. "Mas derrotar o EI e deixar o Irã no limiar de ser uma potência nuclear é vencer a batalha e perder a guerra", afirmou, acrescentando: "As capacidades nucleares do Irã devem ser totalmente desmanteladas."

    Em seu discurso, o chefe do governo israelense criticou também o movimento palestino Hamas, acusando-o de usar civis como "escudos humanos" no recente conflito de Gaza, e se mostrou partidário de um acordo de paz no Oriente Médio segundo as "novas realidades".

    Netanyahu dedicou grande parte da meia hora de seu pronunciamento para tentar convencer o mundo sobre as supostas coincidências entre o EI e outros grupos radicais islamitas e o regime do Irã quanto às supostas intenções comuns de chegar a uma dominação global.

    "Devemos remover esse câncer antes que seja tarde", declarou Netanyahu referindo-se ao extremismo islamita, destacando que o "Hamas é o EI e o EI é o Hamas", assim como outros grupos radicais na Ásia e na África.

    Além disso, considerou que essa "missão global" dos grupos islamitas coincide com os desejos do regime de Teerã, que, em sua opinião, busca o fim das sanções econômicas vigentes para "remover os obstáculos que lhe abram o caminho para a bomba".

    "O Irã é o regime mais perigoso e obterá a arma mais poderosa", concluiu.

    Por Folhapress