Fonte: OpenWeather

    Cotidiano


    Rússia suspende acordo de livre comércio com Ucrânia, a partir de 1º de janeiro

    A Rússia tem reiterado que o acordo de livre comércio entre Kiev e Bruxelas pode inundar o seu mercado de produtos europeus - foto: divulgação
    A Rússia tem reiterado que o acordo de livre comércio entre Kiev e Bruxelas pode inundar o seu mercado de produtos europeus - foto: divulgação

    O presidente russo, Vladimir Putin, decretou nesta quarta-feira (16) a suspensão do contrato de livre comércio com a Ucrânia, a partir de 1º de janeiro, data em que entra em vigor o acordo de aproximação comercial entre Ucrânia e União Europeia.

    A decisão foi tomada devido a “circunstâncias que prejudicam os interesses e a segurança econômica da Federação da Rússia”, diz o decreto. Concretamente, o documento suspende a aplicação do tratado assinado em outubro de 2011 e que criava um regime comercial especial entre os membros da Comunidade dos Estados Independentes (ex-URSS, exceto países bálticos e Geórgia).

    A Rússia tem reiterado que o acordo de livre comércio entre Kiev e Bruxelas, previsto no Acordo de Associação entre a Ucrânia e a UE, pode inundar o seu mercado de produtos europeus, se não forem tomadas medidas de proteção comercial.

    Na segunda-feira, estão previstas negociações em Bruxelas, mas as diferentes partes consideram muito improvável um acordo até ao final do ano.

    A recusa do ex-presidente ucraniano Viktor Ianukovich em assinar o acordo com a UE no final de 2013 provocou um movimento de contestação pró-ocidente de Kiev, que levou à queda e fuga de Ianukovich para a Rússia.

    A chegada ao poder dos pró-ocidentais foi seguida pela anexação da Crimeia pela Rússia e pelo conflito com os separatistas pró-russos no leste da Ucrânia, que já causou mais de 9 mil mortos.

    Por Agência Brasil

    Mais lidas

    1. Número de mortos de atentado duplo na Somália chega a 300

    2. Temer condena ataque terrorista na Somália

    3. Incêndios voltam a atingir Portugal e Espanha e deixam 36 mortos

    4. Trump é intimado a mostrar documentos sobre acusação de assédio sexual

    5. Papa Francisco anuncia sínodo dedicado à Amazônia