Fonte: OpenWeather

    Cotidiano


    Boca de urna na Espanha indica vitória do partido do governo

    Os resultados de boca de urna divulgados no início da noite deste domingo (20) sugerem a vitória do PP (Partido Popular, conservador) nas eleições gerais espanholas. A pesquisa foi encomendada pela emissora TVE.

    O partido do premiê Mariano Rajoy teria recebido entre 114 e 118 assentos no Parlamento. Em segundo lugar estaria o PSOE (Partido Socialista Operário Espanhol, de centro-esquerda), com entre 81 e 85 cadeiras.

    O terceiro colocado seria o partido Podemos, de esquerda, com entre 76 e 80 assentos. Por último, o Cidadãos, de centro-direita, com entre 47 e 50 cadeiras.

    De acordo com os primeiros números divulgados pelo governo, as eleições tinham às 18h locais um comparecimento de 58,4%, um pouco acima do percentual registrado em 2011 (57,65%).

    Em pontos de votação visitados pela reportagem, havia mobilização durante todo o dia. As urnas foram fechadas às 20h locais (17h, em Brasília).

    Mudança

    Esse pleito foi vivido, na Espanha, com ares de um momento histórico. Era presente ali a ideia de que o país passa por uma importante mudança política, deixando para trás o bipartidarismo das últimas décadas.

    Com isso, os partidos PP e PSOE possivelmente perderam sua hegemonia no Parlamento, deixando que se sentem também os novatos Podemos e Cidadãos -surgidos a partir da crise econômica e do desgaste político vivido há anos.

    A partir desta segunda-feira (21), o premiê Mariano Rajoy exercerá suas funções em caráter temporário, com pouca margem para decisões políticas até a investidura do próximo governante espanhol.

    O novo governo dependerá das negociações desses próximos dias e, a depender da solução encontrada pelos candidatos, pode ser uma legislatura frágil diante de uma oposição encorpada.

    Não há um calendário exato para esse período. O rei Felipe deve reunir-se com os candidatos que tenham conquistado cadeiras no Parlamento para propor um nome para formar o governo.

    Em um quebra-cabeça complicado pela presença de mais atores políticos do que o costume na Espanha, e interrompido pelas festividades de fim de ano, esse processo pode demorar algumas semanas.

    Por Folhapress

    Mais lidas

    1. Ação itinerante da Prefeitura de Manaus atende mais de 5 mil pessoas no Novo Aleixo

    2. Amazonas Em Tempo: 30 anos de comunicação em evolução

    3. Número de mortos de atentado duplo na Somália chega a 300

    4. Temer condena ataque terrorista na Somália

    5. Incêndios voltam a atingir Portugal e Espanha e deixam 36 mortos