Fonte: OpenWeather

    Cotidiano


    Avô de garoto-propaganda do EI diz que criança é usada como escudo

    "Vamos matar os kafir [infiéis] dali", diz em inglês o menino, provavelmente com menos de cinco anos, vestindo roupa camuflada e apontando para o horizonte - foto: divulgação
    "Vamos matar os kafir [infiéis] dali", diz em inglês o menino, provavelmente com menos de cinco anos, vestindo roupa camuflada e apontando para o horizonte - foto: divulgação

    "Vamos matar os kafir [infiéis] dali", diz em inglês o menino, provavelmente com menos de cinco anos, vestindo roupa camuflada e apontando para o horizonte. São as últimos segundos de um vídeo atribuído à facção terrorista Estado Islâmico divulgado no domingo (3), com o assassinato de cinco homens acusados pelos milicianos de serem espiões do governo britânico.

    Segundo o programa de TV Channel 4 News, a criança em questão é Isa, filho de uma londrina que se converteu ao islã e se mudou para a Síria anos atrás.

    O programa entrevistou Henry Dare, que diz ser o avô da criança e pai de Khadijah, a mãe do garoto, a qual também já teria aparecido em outros vídeos de propaganda do EI. "Ele não sabe de nada. Ele é um menino. Estão usando-o como escudo", diz Dare sobre o neto.

    Channel 4

    Khadijah Dare foi criada em Lewisham como cristã e com o nome de Grace. Sua família havia se mudado para o Reino Unido da Nigéria em 1987. A jovem se converteu ao islã durante a adolescência, mudou de nome e então viajou para a Síria.

    Khadijah, seu marido e seu filho participaram de inúmeras propagandas da milícia. Em 2014, ela postou uma imagem no Twitter em que mostrava Isa, então com quatro anos, sorrindo e segurando um fuzil. Também há vídeos em que ela conta sobre sua vida na Síria e treina com uma Kalashnikov.

    Segundo o jornal britânico "The Guardian", Khadijah é a primeira ocidental que se sabe a ter viajado à Síria para se juntar a extremistas. "Quero ser a primeira mulher britânica a matar um terrorista norte-americano ou britânico", disse ela, em certa ocasião.

    De acordo com Dare, a filha esporadicamente tenta entrar em contato com a família por telefone. No entanto, ele diz que ignora suas ligações, por ela "ter trazido vergonha para nossa família e para ela mesma".

    As autoridades londrinas disseram ao "The Guardian" que não puderam confirmar a identidade da criança que aparece nas imagens

    Ameaças

    No vídeo, com quase onze minutos, um homem mascarado e com sotaque britânico diz que a facção invadirá o Reino Unido. Ele zomba do primeiro-ministro David Cameron, a quem chama de "escravo da Casa Branca" e "imbecil" por crer que pode derrotar "com um punhado de aviões" o "poderoso" Estado Islâmico na Síria e no Iraque. Em dezembro, o Reino Unido iniciou ataques aéreos contra alvos da facção na Síria, como parte de uma coalizão internacional liderada pelos EUA.

    Cameron disse que o país não se deixará intimidar pelo vídeo, que classificou como uma "propaganda desesperada" de uma milícia que vem perdendo espaço.

    Por Folhapress

    Mais lidas

    1. Ação itinerante da Prefeitura de Manaus atende mais de 5 mil pessoas no Novo Aleixo

    2. Amazonas Em Tempo: 30 anos de comunicação em evolução

    3. Número de mortos de atentado duplo na Somália chega a 300

    4. Temer condena ataque terrorista na Somália

    5. Incêndios voltam a atingir Portugal e Espanha e deixam 36 mortos