Fonte: OpenWeather

    Cotidiano


    Tropas cortam importante rota de suprimentos do Estado Islâmico

    estado-islâmico-divulg
    Na sexta (25), um dos principais comandantes da facção terrorista Estado Islâmico (EI) foi morto por forças americanas. No mesmo dia, o Exército sírio anunciou ter retomado a cidade de Palmira, na Síria - foto: reprodução

    Soldados do Exército do Iraque expulsaram neste sábado o grupo terrorista Estado Islâmico de duas áreas próximas à fronteira com a Síria na região de Sinjar, no norte do país, assumindo o controle de uma importante via de fornecimento de suprimentos usada pelos jihadistas.

    De acordo com um comunicado do Comando das Operações Conjuntas do Iraque divulgado hoje, as áreas recuperadas na ofensiva, que teve início ontem, eram a "mais importante via de fornecimento de provisões entre os dois países".

    Participaram do ataque soldados de milícias da minoria yazidi e a Força de Proteção de Sinjar, que contou com o apoio de combatentes tribais de Shamr. Depois da operação, que foi planejada durante semanas, a bandeira do Iraque voltou a ser hasteada na região.

    Durante os combates, segundo a nota do Comando das Operações Conjuntas, os extremistas sofreram "grandes perdas", tanto humanas como materiais. No entanto, o número de mortos não foi informado.

    Tambem na sexta, soldados iraquianos recuperaram o controle da cidade de Kabisa, que fica a 55 quilômetros ao oeste de Ramadi, na província de Al Anbar, e outras áreas na região norte de Ninawa.

    Há dois dias, o Exército do Iraque iniciou a Operação Fatah para libertar a província de Ninawa, cuja capital Mossul é o principal bastião do EI no Iraque.

    Por Folhapress

    Mais lidas

    1. Amazonas Em Tempo: 30 anos de comunicação em evolução

    2. Número de mortos de atentado duplo na Somália chega a 300

    3. Temer condena ataque terrorista na Somália

    4. Incêndios voltam a atingir Portugal e Espanha e deixam 36 mortos

    5. Trump é intimado a mostrar documentos sobre acusação de assédio sexual