Fonte: OpenWeather

    Cotidiano


    Justiça dos EUA autoriza Google a manter projeto de biblioteca digital

    Para compartilhar esse conteúdo, por favor utilize o link http://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/2016/04/1762327-justica-dos-eua-autoriza-google-a-manter-projeto-de-biblioteca-digital.shtml ou as ferramentas oferecidas na página. Textos, fotos, artes e vídeos da Folha estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização da Folhapress (pesquisa@folhapress.com.br). As regras têm como objetivo proteger o investimento que a Folha faz na qualidade de seu jornalismo. Se precisa copiar trecho de texto da Folha para uso privado, por favor logue-se como assinante ou cadastrado - foto: divulgação
    A sede do Google fica em Mountain View, nos Estados Unidos - foto: foto:divulgação

    O projeto de criação de uma gigantesca biblioteca digital do Google ultrapassou seu último obstáculo nesta segunda-feira (18), com a decisão contrária da Suprema Corte americana a um recurso que alegava violação de direitos autorais.

    O tribunal negou o questionamento da Associação de Autores dos EUA, que considera a digitalização de milhões de títulos pela empresa uma "violação de direitos autorais em uma escala épica".

    A instituição pedia a anulação de uma sentença dada em 2013 sobre o caso, que autoriza o Google a prosseguir com o projeto.

    A briga entre a gigante da internet e os escritores, que dizem não receber royalties pela digitalização das obras, já dura mais de uma década. Em 2005, a Associação de Autores entrou com o primeiro pedido na Justiça para barrar a companhia.

    O Google tem uma plataforma de pesquisa de livros, com trechos de mais de 20 milhões de títulos disponíveis.

    Na decisão, a Suprema Corte argumentou que a ferramenta oferece um "uso justo" dos livros, de acordo com a lei de direitos autorais dos EUA.

    Por Folhapress