Fonte: OpenWeather

    Revelações


    Cantora brasileira faz post revelando ter sofrido assédio e bulimia

    Ana Cañas fez post no Instagram; confira

    Ela fez o desabafo para dizer que hoje se aceita
    Ela fez o desabafo para dizer que hoje se aceita | Foto: Reprodução/Instagram

    A cantora Ana Cañas fez post no Instagram na terça-feira (17), revelando que sofreu consequências graves por conta de um assédio que sofreu quando era adolescente, desenvolvendo inclusive um distúrbio alimentar por conta disso. Ela fez o desabafo para dizer que hoje se aceita como é e para incentivar as pessoas a se aceitarem e acreditarem em si mesmas. 

    "Tenho celulite, estrias, varizes nas coxas e um peito maior que outro. Também tive bulimia dos 16 aos 19 anos. Uma sequela física e psicológica em decorrência do assédio que sofri nessa idade. Durante anos, rejeitei meu corpo. Achava defeito em tudo. Não via beleza em nada. Existia o padrão e existia a minha necessidade emocional de me encaixar nele", disse Ana.

    Leia também: Quarenta e cinco casos de assédio sexual foram registrados na Copa

    "Hoje, amo todas as minhas singularidades. Cada uma delas. As pernas grossas, a canela gordinha, meu bundão grandão, minha barriga saliente, os dentes tortos, meu cabelo armado e cacheado", continuou a cantora, afirmando que os padrões de beleza impostos pela sociedade são os responsáveis pela baixa autoestima das pessoas. 

    Na publicação, Ana diz que, durante anos, rejeitou seu corpo
    Na publicação, Ana diz que, durante anos, rejeitou seu corpo | Foto: Reprodução/Instagram

    "Prometa, aqui e agora, que você vai pensar profundamente sobre todas as suas belezas únicas e chegar à conclusão esplêndida que se alguém não te amar exatamente do jeito que você é (incluindo principalmente você mesma), o azar é todo dele, dela”, terminou Ana.

    Leia mais:

    Rússia abre inquérito contra brasileiros que constrangeram mulher

    Documentário ‘Chega de Fiu Fiu’ chega a Manaus questionando o machismo

    'A vergonha é verde e amarela', diz post do governo sobre assédio