Fonte: OpenWeather

    Música


    Encontrada obra de Villa-Lobos considerada perdida

    Para o pesquisador Alexandre Dias : “É como se perceber diante de um osso de um tiranossauro rex”

    Heitor Villa-Lobos é considerado o maior compositor clássico brasileiro
    Heitor Villa-Lobos é considerado o maior compositor clássico brasileiro | Foto: Divulgação

    Brasília - Um manuscrito do compositor Heitor Villa-Lobos considerado perdido foi encontrado depois de décadas em Brasília. A descoberta foi feita pelo pesquisador Alexandre Dias, criador e diretor do Instituto Piano Brasileiro. “É como se perceber diante de um osso de um tiranossauro rex”, diz ele.

    A partitura manuscrita referente às intervenções do coro já pertencia ao acervo do Museu Villa-Lobos, mas, sem o restante da música, o catálogo do compositor a definia como incompleta e perdida.

    “Na verdade, sem a parte do piano, não dava para entender exatamente o que o compositor buscava alcançar com a partitura. Agora, é possível enxergar com mais clareza o que ele propunha”, explica ainda Dias.

    A história da descoberta começou há alguns meses, quando Márcio Brandão, filho de José Vieira Brandão, procurou o Instituto Piano Brasileiro, criado em 2015 com o objetivo de reunir, digitalizar e editar acervos de compositores e pianistas brasileiros.

    “José Vieira foi grande amigo, o braço direito de Villa-Lobos, estreou obras como suas Bachianas Brasileiras nº 3 e o Ciclo Brasileiro”, lembra Dias. “O Márcio tinha 145 pastas grandes com manuscritos, fotos, cartazes, programas, gravações. Para se ter uma ideia, já digitalizamos cerca de 8 mil páginas, e isso corresponde a 10% do material que estava disponível.”

    Entre esse material, Dias encontrou uma partitura com a anotação Atrevido, escrita para dois pianos.

    “Ali o sinal de alerta acendeu, porque o Concerto Brasileiro foi uma homenagem a Ernesto Nazareth, e sabíamos que nele o Villa evocava duas obras dele, Atrevido e Odeon. Comparamos então com a parte do coro e elas se sobrepunham, encaixavam.”

    No mesmo acervo, Dias encontrou outra raridade: a transcrição para piano dos estudos para violão, feita por Vieira Brandão. “Já conhecíamos os estudos de 1 a 8, mas agora encontramos os de números 9 a 12, ou seja, o ciclo completo, que vamos editar, trabalhando também com a pianista Sonia Rubinsky para que ela faça a estreia moderna dessas peças.”

    O Instituto Piano Brasileiro é uma iniciativa de Dias, que, ao lado de alguns parceiros, já descobriu peças inéditas de Nazareth, João Pernambuco e Fructuoso Viana, entre outros autores.

    Leia mais:

    Literatura como instrumento de mudança social

    Receba notícias do EM TEMPO pelo celular - Veja como

    Leia mais notícias de cultura do Portal EM TEMPO