Fonte: OpenWeather

    Perda


    Morre ator de 'Quem quer ser um milionário?' e 'As aventuras de Pi'

    Irrfan Khan, astro do cinema indiano, lutava contra câncer raro

    Irrfan Khan posa após ser premiado com o Asian Film Awards, em Macau, em março de 2014
    Irrfan Khan posa após ser premiado com o Asian Film Awards, em Macau, em março de 2014 | Foto: PHILIPPE LOPEZ / AFP

     Irrfan Khan, ator indiano que teve papéis em filmes de Hollywood como "As aventuras de Pi" (2012) e "Quem quer ser um milionário?" (2008) morreu nesta quarta-feira (29), aos 53 anos. A morte, após uma prolongada batalha contra o câncer, foi confirmada por um porta-voz, que disse que Khan estava cercado por familiares na ocasião.

    "Ele travou as muitas batalhas que vieram com isso", disse o porta-voz em comunicado, referindo-se ao diagnóstico do câncer raro de Khan em 2018. Khan foi um dos primeiros atores indianos a deixar uma marca consistente no cinema ocidental, seguindo os passos de pioneiros como Saeed Jaffrey, Roshan Seth e Om Puri.

    "Um talento incrível", disse a estrela de Bollywood Amitabh Bachchan, entre os tributos no Twitter que se seguiram à morte de Khan. "Um colega gentil. Um colaborador prolífico do mundo do cinema. Nos deixou muito cedo criando um enorme vácuo".

    O primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, também expressou suas condolências. "A partida de Irrfan Khan é uma perda para o mundo do cinema e do teatro. Ele será lembrado por suas performances versáteis em diferentes mídias", disse Modi em um tweet.

    Nascido Sahabzade Irfan Ali Khan, no estado do deserto ocidental de Rajasthan, em uma família sem vínculos com o cinema, o ator lembrou em entrevistas que, quando criança, ele e seus irmãos não tinham permissão para assistir a filmes. A única exceção foi quando um tio visitante os levou ao teatro.

    Inspirado pelo cinema indiano da década de 1980, Khan decidiu seguir carreira na área e mudou-se para Nova Délhi para estudar teatro. Depois, seguiu para Mumbai em busca de empregos como ator, mas os filmes de Bollywood dos anos 1990 não apresentavam oportunidades para a atuação discreta de que Khan era a favor.

    Ele trabalhou em seriados para a televisão indiana por quase uma década e seguiu buscando papéis em filmes. Em 2001, quando estava quase desistindo, o cineasta britânico Asif Kapadia ofereceu a ele o papel principal em "Um guerreiro solitário". O filme ganhou o Bafta de Melhor Filme Britânico.

    Tumor diagnosticado em 2018

    A premiação ambém abriu as portas para Hollywood, que apreciava Khan muito antes de Bollywood o reivindicar. Ele passou a atuar em sucessos independentes, como "The namesake" (2006), de Mira Nair, baseado no livro de Jhumpa Lahiri, além de produções mais populares, incluindo "Jurassic World" (2015).

    Em "The namesake", ele recebeu elogios por seu retrato sensível de um homem que se muda para os Estados Unidos e lida com as crises de identidade comuns aos imigrantes de primeira geração. Khan também atuou na estreia do cineasta Ritesh Batra, "The lunchbox" (2013), uma história íntima sobre um homem mal-humorado e a mulher que, por engano, lhe envia a lancheira do marido, o filme ganhou elogios em todo o mundo, inclusive na Índia.

    Em "As aventuras de Pi", uma de suas atuações de maior sucesso, o ator interpreta o protagonista Pi em sua fase adulta. Perdido em meio ao oceano Pacífico dividindo um bote com um tigre-de-bengala, o personagem precisa completar sua viagem enquanto doma o felino.

    Já em seu outro grande sucesso, o filme indiano "Quem quer ser um milionário?" (2008), Khan interpreta o inspetor de polícia que investiga a suposta trapaça do protagonista Jamal (Dev Patel).

    Em março de 2018, Khan anunciou que havia sido diagnosticado com um tumor neuroendócrino. Em seguida, ele voltou de Londres, onde estava sendo tratado, e participou do filme "Angrezi medium", lançado nos cinemas indianos no mês passado. Khan estava ausente durante a divulgação do longa e não era visto em público desde as notícias de seu diagnóstico. Ele deixa sua esposa e dois filhos.

    Com informações de O Globo*