Fonte: OpenWeather

    Cultura


    Silvio Santos comemora 35 anos da rede SBT

    O SBT celebra 35 anos de sucesso, uma televisão que inovou e sempre serviu de referências para outras emissoras - foto: divulgação
    O SBT celebra 35 anos de sucesso, uma televisão que inovou e sempre serviu de referências para outras emissoras - foto: divulgação

    O SBT comemora 35 anos da sua primeira transmissão. A emissora entrou no ar após Silvio Santos conseguir do governo Figueiredo a licença para operar a concessão do canal 4 de São Paulo, antiga frequência da TV Tupi.

    À ela uniu a TVS, canal 11 do Rio que era a Continental e detinha desde 1976, a TV Marajoara (Pará) e a gaúcha Piratini.

    O canal pretende celebrar o aniversário com eventos até o fim do ano. Promoverá em outubro uma nova Parada do Dia das Crianças, famosa nos anos 1980, e uma exposição dedicada ao homem do Baú no MIS (Museu da Imagem e do Som), em São Paulo, prevista para dezembro.

    Eterno vice-líder, parece se orgulhar do segundo lugar desde a sua criação. Em 2015, 14,86% dos emissores do país sintonizaram no SBT, pouco mais do que a Record (14,56%) e menos do que a metade da audiência da líder Globo (36,91%), segundo o Ibope.

    Abaixo, 35 momentos marcantes da emissora desde a sua criação com o DNA popularesco.

    Inauguração ao vivo

    “Foi uma novela com ‘happy ending’”, resumiu Silvio Santos na transmissão ao vivo da assinatura do contrato que encerrou a licitação do Ministério das Comunicações que lhe permitiu a operação do SBT.

    O evento foi um caso raro na história da televisão. Famoso por seus programas no rádio e na TV Globo, anunciou um investimento de US$ 10 milhões e prometeu ser “muito mais um colega do que patrão”.

    Pegadinhas

    O quadro “Câmera Escondida”, com pegadinhas, é tão longevo quanto o SBT. As trapaças começaram no humorístico “Alegria 81”, no ano de estreia do canal.

    Algumas das brincadeiras são criadas pelo próprio Silvio Santos, como Ivo Holanda, famoso ator de pegadinhas, contou à “Folha de S.Paulo” em 2015.

    “Bozo”

    Inspirado em formato americano, o palhaço teve várias encarnações e formatos no canal de Silvio Santos desde o começo dos anos 1980.

    Rainha do sofá

    O mais longevo trono de Hebe Camargo, a rainha da TV brasileira, foi o sofá branco de seu programa no SBT, onde recebeu seus convidados de 1986 a 2010.

    Após uma rápida passagem pela RedeTV! entre 2011 e 2012, Hebe retornaria ao canal de Silvio Santos. Não deu tempo: morreu em setembro de 2012, dois dias depois de assinar novamente com o “patrão”.

    Rede da criançada

    Antes das brincadeiras com Maísa Silva, hoje adolescente, Silvio se divertia com as crianças em seu “Domingo no Parque”, que promovia gincanas e distribuía prêmios.

    “A Praça é Nossa”

    Em 1987, Carlos Alberto de Nóbrega aceitou o convite de Silvio Santos para reeditar o famoso programa criado por seu pai, Manuel de Nóbrega, ainda na rádio.

    O humorístico é exibido até hoje e chega a liderar a audiência nas noites de quinta-feira.

    Jô Soares

    Silvio foi às compras: em outubro de 1987, tirou Jô Soares da Globo para apresentar o primeiro talk show da TV, o “Jô Soares Onze e Meia”. A transação foi a maior da TV brasileira até então.

    O apresentador e humorista saiu da emissora em 1999 e voltou à Globo para a apresentar o “Programa do Jô”, que se despede da programação no final deste ano.

    Silvio presidente

    Antes do confronto final entre Lula e Collor, a primeira eleição para a Presidência da República teve outro candidato célebre: Silvio Santos.

    A candidatura do famoso apresentador de TV acabou sendo impugnada pelo TSE.

    Um coquetel de SBT

    Durou pouco, apenas um ano (1991-1992). Mas foi inesquecível para os adolescentes daquela época: mulheres-fruta, vestindo maiôs brilhantes como vedetes, despiam-se em um jogo comandado pelo “showman” Luiz Carlos Miele.

    Assim era o noturno “Cocktail”, criado em comemoração aos dez anos do SBT.

    “Chiquititas”

    A novela infantil “Chiquititas”, importada da Argentina, estreou pela primeira vez no SBT em 1997. A história ambientada em um orfanato revelou a atriz Fernanda Souza e se tornou uma coqueluche na época.

    O fanatismo era tamanho que Tropa de Choque foi parar nos estúdios do canal, na rodovia Anhanguera, para conter a confusão generalizada causada por um concurso que deveria escolher novos atores mirins para a novelinha entre crianças anônimas.

    Recordações do patrão

    O canal reeditou “Chiquititas” em 2013.

    Dramalhão latino

    Compradas da Televisa, as novelas mexicanas, como “Maria do Bairro” (campeã de reprises, com sete exibições) e “A Usurpadora”, são uma marca registrada do SBT.

    Casa dos Artistas

    Sabendo que a Globo preparava o “Big Brother Brasil”, Silvio Santos furou a concorrência e apresentou o reality show aos brasileiros com “Casa dos Artistas”. Às pressas, confinou em uma mansão vizinha à sua, no Morumbi, famosos como Supla e Bárbara Paz.

    Com mais de 40 pontos no Ibope, foi a maior audiência do canal até hoje e chegou a derrotar o “Fantástico”, aos domingos, feito inédito na história da televisão.

    “Chaves” e “Chapolin”

    Entre idas e vindas na programação, os humorísticos mexicanos criados por Roberto Bolaños são um trunfo de Silvio Santos para complementar sua grade desde 1984.

    Mais lidas

    1. Mansão de Mariah Carey é assaltada e ladrões levam US$50 mil

    2. Comemoração ao aniversário de Manaus no Teatro Amazonas: espetáculo de brasilidade

    3. Bel Martine e Luana e Rafhaela agitam palco do Via Norte neste fim de semana

    4. Leandra Leal encena espetáculo ‘Rival Rebolado’ no Café Teatro

    5. Manaus recebe festival de dança 'Break The Floor' neste fim de semana