Fonte: OpenWeather

    Cultura


    Festival Amazonas de Ópera entra em cena

    Canções populares e trechos de óperas célebres foram encenadas na abertura do Festival Amazonas de Ópera fotos: – Michael Dantas

    Na abertura da 20ª edição do Festival Amazonas de Ópera (FAO), promovida na noite de ontem, no Teatro Amazonas, o secretário de Estado de Cultura, Robério Braga, afirmou que o evento tem uma história de construção de oportunidades para os artistas amazonenses.

    “Diferentemente do que fazíamos em 1997, quando o festival iniciou e não tínhamos muito a oferecer, só a vontade de fazer, hoje realizamos o evento inteiramente com a ‘prata da casa’. Agora, quando convidamos um artista internacional, não é somente para troca de experiências, mas também para promoção do trabalhos dos artistas da nossa região”, afirmou o titular da Secretaria de Cultura do Amazonas (SEC-AM).

    Para o diretor artístico do evento, Luiz Fernando Malheiro, que trabalha no FAO há 20 anos, a permanência do festival de ópera prova o seu valor não apenas como entretenimento, mas como fator de inclusão social. “Isso porque para que ele aconteça, há uma média de 300 a 400 pessoas envolvidas”, enfatizou.

    Malheiro também falou da importância do evento para incentivo à cultura e divulgação da arte. “É um prazer comemorar a 20ª edição de um festival de ópera, especialmente em um país em que os eventos culturais tem vida curta”

    A 20ª edição do evento segue até o dia 4 de junho e como diferencial nas apresentações está a utilização de artistas'pratas da casa'

    O maestro do coral de ópera do Amazonas, Zacarias Fernandes, que coordena o grupo artístico há 26 anos, presenciou o nascimento do festival e o momento anterior à sua criação. “Temos cantores do coral que estão conosco desde o início dessa história. Vimos sua evolução artística e técnica. E tudo o que está sendo realizado hoje é resultado do que fazíamos há mais de 20 anos, ainda de forma amadora”, relembrou.

    A noite de abertura do festival, que se estende até o dia 4 de junho, contou com a apresentação da Amazonas Filarmônica e do Coral do Amazonas, com a participação do tenor paulista Thiago Arancam e da soprano amazonense Dhijana Nobre, que encenaram trechos de óperas como “O Guarani” e “Tosca”, de Carlos Gomes; “Sansão e Dalila”, de Camille Saint-Saëns; “Cavalleria Rusticana”, de Pietro Mascagni; e “Turandot”, de Giacomo Puccini.

    O festival deste ano terá, ao todo, 22 apresentações que incluem récitas de óperas, concertos e recitais, além de uma rica programação acadêmica com palestras e workshops.

    Kássio Nunes
    EM TEMPO