Fonte: OpenWeather

    Memórias


    Almir Barros lança 'A Manaus que eu vi e vivi'

    As histórias da cidade entre as décadas de 60 a 80 vivenciadas e contadas pelo professor e escritor

    O lançamento será nessa sexta-feira (10), a partir das 17h. Mais notícias 24h por dia em: http://www.emtempo.com.br | Autor: EMTEMPO

    Histórias sobre a capital amazonense serão contadas pelo professor e escritor Almir Barros no livro "A Manaus que eu vi e vivi". Os lugares e pessoas são descritas nas 'memórias' do próprio autor. O lançamento será nessa sexta-feira (10), a partir das 17h.  

    O livro é a  compilação de artigos publicados em um blog alimentado pelo escritor. Através das reminiscências da infância e juventude do autor, ele destaca  a vivência dele em Manaus de 1960 a 1980. Fazendo uma viagem ao passado, Almir relembra as diversas histórias  que deixaram lembranças e saudades.

    Leia também: Tiê desembarca em Manaus com show inédito

    Quando indagado sobre as dificuldades de reviver essas memórias, ele relata com saudosismo a época."Realmente não tive nenhuma dificuldade em reviver momentos felizes, numa Manaus pacata, morena e brejeira, situada à margem esquerda do coração do Rio Negro", relembra o autor sobre a produção dos textos.

    Professor Almir Barros fala do laçamento do seu livro " Manaus que vivi"
    Professor Almir Barros fala do laçamento do seu livro " Manaus que vivi" | Foto: IONE MORENO

    A obra faz um resgate cultural dando ênfase a uma Manaus sem as características da metrópole atual. Os diversos locais que hoje não existem mais: os cinemas do centro, os barzinhos, as festas tradicionais, os clubes sociais, as festas Juninas com fogueiras, comidas típicas e dos balões. Os bumbás, cirandas e tribos, que se apresentavam no Festival Folclórico, na General Osório, voltam ao presente em sua obra.

    Ele também descreve sobre as partidas de futebol, no Estádio da Linha Circular, no Parque Amazonense. E de maneira sutil, histórias cômicas da década de 60, onde a cidade tinha um pouco mais de 200 mil habitantes.

    Almir Barros, viu essa transição de costumes, cultura e lugares de Manaus. Em resposta a isso, em um texto quase poético ele relata o que passou.

    "Conheci Manaus antes e depois do advento da Zona Franca e posso afirmar que nossa cidade sofreu muito com o progresso, seus igarapés poluídos, as fachadas dos casarões foram alteradas, outras demolidas, como o Castelinho da Família Miranda Corrêa. Muitas mudanças em nosso modo de viver e conviver e nossas tradições esquecidas. Ficaram apenas as lembranças e muitas saudades daquela Manaus de outrora, antes cidade sorriso!".

    Biografia

    Formado em Letras, Almir tem 62 anos, foi coordenador da Escola Superior de Advocacia do Amazonas (ESA/AM), Diretor da Escola Estadual Solon de Lucena por três vezes, fez parte do quadro de professores da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), foi Coordenador da Escola do Legislativo da Câmara Municipal de Manaus, e também autor da obra “Drogas: Você escolhe o Caminho” (2011).

    O livro será lançado nesta sexta (10).
    O livro será lançado nesta sexta (10). | Foto: IONE MORENO

    Sobre o Lançamento

    Dia: 10 de novembro

    Horário:17h

    Local: Auditório Francisco Antonaccio, rua Monsenhor Coutinho, próximo ao Ideal Clube.

    Leia mais:

    Cinema 'no rio das borboletas'

    Zona Tribal faz show no Sonora Estúdio

    Luneta Mágica tocará em festival nos EUA