Fonte: OpenWeather

    Filho de peixe


    Guto Lima: o novo fenômeno da música brega em Manaus

    O estilo musical brega é um dos preferidos de muitos manauenses

    DVD Guto Lima 2017 Gravado ao vivo em Manaus - Am, no Balneário Banho de Cascata em Abril de 2017. | Autor: Francklin Moura

    Mesmo com o nome de cantor romântico, José Augusto Lima Nunes - mais conhecido como Guto Lima, o sangue falou mais alto. Filho do príncipe do brega, Nunes Filho, Guto planeja uma bela e talentosa trajetória no estilo musical que consagrou o pai no Brasil.

    "Ser filho do cantor de brega mais famosos do Brasil é de uma imensa responsabilidade, mas me sinto orgulhoso disso. Foi o meu pai que deu o primeiro empurrão e devo tudo isso a ele, meu pai, meu herói", disse.

    Leia também: Três filmes brasileiros estreiam em Manaus nessa semana

    Guto contou em entrevista ao EMTEMPO que o nome artístico foi dado pelo amigo cantor de MPB que se chamava Gê Lins. "Conheci o Gê onde gravei meu primeiro CD de brega, na Fundação Vila lobos, e desde de lá não parei mais".

    Com 16 CDs e 8 DVDs gravados, ele explicou que começou a trabalhar com a música aos 14 anos quando o pai comprou o primeiro teclado. "Fui tecladista do meu pai por muito tempo e depois de boi bumbá com diversos artistas, como do cantor Ricardo Lira, além de já ter acompanhado vários cantores de boleros de Manaus também".

    Em 2005 gravou o primeiro CD com uma mistura de arrocha e brega, quando recebeu o titulo de 'Rei do arrocha' em Manaus. "Canto grandes sucessos de todos os cantores nacionais no meu ritmo, o arrocha, que é um ritmo bem dançante. Hoje graças a Deus não paro. Faço uma média de 35 shows por mês e vou cantando até onde Deus quiser".

    Além da agenda cheia, ele trabalha também como produtor musical, inclusive ele diz fazer questão de produzir seus próprios álbuns. "Hoje fico feliz por poder produzir meus discos com músicas para todas as idades". 

    Ping-pong

    EMTEMPO: Quando decidiu fazer carreira como cantor brega?

    GUTO LIMA: Em 2003 quando surgiu o projeto 'Valores da Terra'.

    EMTEMPO: Você tem inúmeros shows, quando consegue tempo para compor ou gravar novas canções?

    GL: Não sou de compor letra e sim produzir músicas de compositores que  mandam pra mim.

    EMTEMPO: No seu novo trabalho, quais canções pode destacar para gente?

    GL: São duas músicas: "Greve de respirar"  e "whisky cigarro e violão".

    EMTEMPO: Você acredita que o estilo musical que você canta ainda é marginalizado?

    GL: Não é mais. E agora é reconhecido em todo Brasil.

    EMTEMPO: Quais as suas influências musicais?

    GL:  Bruno e Marrone, Jorge e Matheus e o sertanejo em geral.

    EMTEMPO:Com quem já cantou ou fez parcerias musicais?

    GL: .Já fiz vários pré-shows de atrações nacionais, mas nunca fiz parcerias. Espero em breve ter essa oportunidade.

    EMTEMPO: Quais os planos para futuro?

    GL: Mostrar meu trabalho para todo o Brasil

    EMTEMPO: Um recado para os fãs de brega.

    GL: Continuem gostando e cantando o brega, porque a música brega sempre vai contar a realidade das nossas vidas! 

    Leia mais:

    Zona Tribal faz show no Sonora Estúdio

    Luneta Mágica tocará em festival nos EUA

    Exposição reúne artistas mulheres em Manaus