Fonte: OpenWeather

    Cinema


    Sérgio Andrade e Fábio Baldo retratam a vida de indígena urbano no longa ‘Antes o tempo não acabava’

    Longa levanta ainda uma reflexão contundente sobre a vida indígena, as problemáticas e conceitos da homossexualidade, por exemplo

    Filme de diretor Amazonense estreia em 10 capitais brasileiras | Foto: Divulgação

    Os conflitos de um índio urbano vivendo em Manaus são mostrados no longa 'Antes o tempo não acabava', dos diretores Sérgio Andrade e Fábio Baldo, que conta com a participação de Begê Muniz e do protagonista Anderson Tikuna. A pré-estreia na capital amazonense acontece no próximo dia 29. 

    O filme traz para discussão o tema do indígena urbano, os conflitos de cultura, existencialismo, questões de gênero e o comportamento dos jovens.

    Leia também: Café Teatro sedia prévia do evento ‘Toca da Caboca’

    Baseado em uma “realidade” na qual os índios passam quando ocupam esses espaços urbanos, o debate sobre o índio volta à tona com as particularidades que enfrentam nesta transição de cultura indígena para a branca.

    “Antes o tempo não acabava, levanta uma reflexão contundente sobre a vida indígena, as problemáticas e conceitos da homossexualidade por exemplo. Também como vive um jovem indígena urbano brasileiro, já que ele é uma minoria entre os tantos que vivem nas cidades, descreve Sérgio.

    Anderson Tikuna é o indígena que interpreta o protagonista que leva seu próprio nome, Anderson
    Anderson Tikuna é o indígena que interpreta o protagonista que leva seu próprio nome, Anderson | Foto: Divulgação

    Entre os assuntos que ganham destaque no longa, a vida na metrópole e a questão homossexual indígena são as mais fortes. Sendo o protagonista indígena, interpretado pelo indígena Anderson Tikuna, que surgiu de inspiração e deu mais verosimilhança para o diretor desenvolver o roteiro.

    Anderson Tikuna é o indígena que interpreta o protagonista que leva seu próprio nome, Anderson
    Anderson Tikuna é o indígena que interpreta o protagonista que leva seu próprio nome, Anderson | Foto: Divulgação

    “Em meio a produção do longa, nós fizemos seleção de elenco com vários atores, mas eu escrevi e pensei muito no Anderson. O personagem quase que foi feito para ele, até os próprios conflitos dele me levaram a inserir algumas informações”, completa.

    Além do protagonista, outro ator convidado foi Begê Muniz. Em cena, ele fez uma participação especial no longa, com o personagem Beto kainã. Um caboclo catraieiro que adora as noites da cidade e leva o protagonista a viver as “baladas” da capital.

    Participação de Begê Muniz no filme 'Antes o tempo não acabava'
    Participação de Begê Muniz no filme 'Antes o tempo não acabava' | Foto: Divulgação

    “Pra mim foi um desafio porque, esse tipo de relação que existe no longa tem que ser de uma forma natural, como é na realidade, no cotidiano das pessoas. Esse personagem me enriqueceu, trouxe um amadurecimento de encarar o desafio de outros personagens”, explica Begê Muniz.

    Esse já é o terceiro trabalho do ator com Sérgio Andrade. A relação cinematográfica começou com o curta "Cachoeira", de 2010, depois a "Floresta de Jonas" e por fim "Antes o tempo não acabava".

    Participação de Begê Muniz no filme 'Antes o tempo não acabava'
    Participação de Begê Muniz no filme 'Antes o tempo não acabava' | Foto: Divulgação

    "O Begê é um grande talento, ele está cada vez mais aprimorado, fez um papel difícil e soube levar com maestria, é uma participação bastante significativa. Eu gosto de trabalhar com ele, um cara  alto astral e  disciplinado", finaliza Sérgio.

    Sinopse

    Anderson (Anderson Tikuna) é um jovem rapaz de origem indígena Saterê. Ele então se muda para Manaus, uma cidade grande que começa a emergir os conflitos entre seus costumes e a cultura branca.

    Estreias

    Em Manaus haverá uma pré-estreia para convidados, que será realizado no dia 29 deste mês, no Cine Casarão de Ideias. No Rio de Janeiro dia 22 e em dez capitais brasileiras a partir do dia 30 ainda deste mês.

    O filme estreou, mundialmente, no Festival de Berlim (2016), já levando o prêmio de melhor ator. Em Portugal foram dois prêmios, melhor ator e filme. E no festival em Vitória-ES, arrebatou três: melhor ator, filme e roteiro.

    Sergio Andrade conta que acabou as gravações de outra longa. 'A terra negra dos Kaawa', foi filmado parte em Manaus e Iranduba.Trata- se de uma ficção que aborda  a terra preta localizada em área indígena, onde diz haver mágica e poder. Pela primeira vez participaram atores de renome nacional, elenco indígena é formado por atores tarianos que falam Tukano. Previsão de estréia é para final de  2018 início de 2019.

    Sérgio Andrade

    Cineasta brasileiro Sérgio Andrade nasceu em Manaus, em 1967. Formado em Comunicação Social na Estácio de Sá, trabalhou como produtor para diversas produções nacionais e internacionais de cinema e TV.Em 2008 dirigiu seu primeiro curta, "Criminosos", depois "Um rio entre nós" e por fim "Cachoeira". Em 2012 seu primeiro longa "A floresta de Jonathas" o fez viajar pelo mundo participando de festivais importantes como: Clermont-Ferrand, Rotterdam, Toulouse e Taipei. Agora está na estreia do segundo longa e terminou as gravações do terceiro em outubro (2017)

    Begê Muniz

    Begê Muniz, 27 anos, natural do Amazonas . Em 2010 foi convidado para ser protagonista do curta –metragem Cachoeira, (de Sérgio Andrade), marcando assim sua estréia no cinema. Cachoeira participou de vários festivais nacionais e internacionais como os de Brasília, Clermont-Ferrand (França), Brazilian Film festival (Miami) entre outros. Em 2011 fora novamente convidado por Sérgio Andrade, dessa vez para  protagonizar o longa "A floresta de Jonathas", filme este que lhe proporcionou até o momento, dois prêmios de melhor ator, sendo o primeiro no Amazonas. O último trabalho irá ser lançado em 2018 onde vai estrelar o personagem Tando no filme Amazon Adventure (Mike Lee), uma produção Canadá/Brasil.


    Leia mais:


    Supermercados estimam crescimento de 4% nas vendas para o natal

    Facebook abre seleção para 4,2 mil bolsas em cursos gratuitos de programação para jovens

    "Estamos preparados para trabalhar" diz guardador de carro sobre 'Zona Azul' em Manaus