Fonte: OpenWeather

    Dia A Dia


    Manaus enfrentará calor acima da média até dezembro

    Em 2009, a temperatura registrada em Manaus chegou a 40,9 graus. - foto: arquivo EM TEMPO
    Em 2009, a temperatura registrada em Manaus chegou a 40,9 graus. - foto: arquivo EM TEMPO

    As altas temperaturas na capital amazonense devem seguir até meados de dezembro, segundo informou nesta quarta-feira (24) o meteorologista e chefe da divisão de meteorologia do Sistema de Proteção da Amazônia (Sipam), Ricardo Dallarosa.

    Manaus registrou na última segunda-feira (22) o dia mais quente do ano, quando os termômetros do Instituto Nacional de Meteorologia no Amazonas (Inmet) apontaram 37,7 contra 34,7 graus registrados como o pico de alta temperatura em 2013.

    Conforme Ricardo Dallarosa, as temperaturas elevadas têm relação com dois sistemas atuantes na região, que provocam redução na nebulosidade na formação de nuvens. Um deles é o de bloqueio atmosférico, que favorece a formação de uma grande massa de ar quente sobre a região, e o outro o El Niño, que é o aquecimento das águas do Oceano Pacífico, causador da diminuição das chuvas nas regiões Norte e Nordeste.

    “O sistemas de bloqueio normalmente acontece nesta época do ano e dura entre 4 a 15 dias e tem sido recorrente, mas recentemente tem durado por mais de 20 dias”, explicou Dallarosa.

    “Nessa época do ano, as chuvas são localizadas, pois tem menos umidade vindo do oceano. O El Niño é outro fenômeno que está atuando e não deve ir embora, pelo menos nos próximos dois ou três meses”, disse o meteorologista do Sipam.

    Normalmente a estação seca vai até outubro, entretanto, as temperaturas acima da média vão continuar até metade de dezembro. Ainda segundo o Sipam, a estação chuvosa será afetada com baixo volume e as temperaturas vão continuar altas, mas não ultrapassarão o recorde da última segunda-feira.

    Nos meses de setembro e outubro de 2013, o valor máximo de temperatura registrado pelo Inmet foi de 33,8 e 33,9 graus. Independente de médias sinalizadas em termômetros, a sensação térmica exagerada na estação seca deste ano é causada por diversos fatores, como as condições ambientais.

    Queimadas

    Conforme Lucas Mendes, também meteorologista do Sipam, as temperaturas elevadas acima da média na capital e interior do Estado não são influenciadas pelas queimadas. Por outro lado, os incêndios em vegetação podem ter sim relação com o tempo quente e seco.

    “Poderia haver influência se, digamos, as estações meteorológicas de superfície que registram os dados estivessem próximas a focos de calor, o que não é o caso. O que acontece, independente da localidade geográfica, é que o fator de altas temperaturas, combinadas com o ar seco e a baixa umidade relativa do ar favorece o aumento do número de focos de incêndio”, disse Mendes.

    De acordo com o Corpo de Bombeiros, em setembro de 2013 houve 41 registros de incêndios em vegetações urbanas. Já neste ano, até o momento, um total de 99 ocorrências foram registradas em Manaus, o que equivale a uma variação de 141%.

    Por Cecília Siqueira (EM TEMPO Online)