Fonte: OpenWeather

    Dia A Dia


    Após receber ligação, homem sai de casa e é morto no Nossa Senhora de Fátima

    Policiais militares da 27ª Cicom disseram que a vítima era envolvida com o tráfico de drogas  - foto: Josemar Antunes
    Policiais militares da 27ª Cicom disseram que a vítima era envolvida com o tráfico de drogas - foto: Josemar Antunes

    Um homem identificado como Adson Rabelo da Silva, vulgo 'Gato', 22, foi vítima de uma provável emboscada na tarde de domingo (16). O fato aconteceu na rua das Oliveiras, bairro Nossa Senhora de Fátima 1, Zona Norte de Manaus.

    Familiares disseram que a vítima almoçava em casa, quando recebeu uma ligação e saiu. Em seguida foi morto. Segundo moradores, o homem foi assassinado por dois homens desconhecidos, que já o aguardavam no local indicado, situado nas margens de um igarapé.

    “Ele estava em casa com a família, após receber essa ligação, saiu e logo em seguida, recebemos a notícia que já estava morto”, comentou a prima da vítima que preferiu divulgar o nome.

    Policiais militares da 27ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom) disseram que a vítima era envolvida com o tráfico de drogas e disputava território no bairro.

    O principal suspeito do crime, de acordo com a polícia, é o traficante da área, conhecido como ‘Jhon Maicon’. A família confirmou aos investigadores da Polícia Civil que o traficante havia feito ligações à vítima antes de ser morto.

    A esposa da vítima, a dona de casa Brenda Reinaldo da Fonseca, 20, estava trabalhando quando foi informada sobre o crime. Muito abalada, a mulher não quis comentar sobre o caso.
    A perícia criminal confirmou que a vítima foi alvejada com cinco tiros, sendo que um atingiu a cabeça, dois o peito, um o abdômen e outro o braço direito.

    Um fato chamou a atenção na cena do crime: a perícia criminal do Departamento de Polícia Técnico-científico (DPTC) do Instituto de Criminalística (IC) demorou para realizar os trabalhos devido à demora do delegado Marcelo Pilar, do 6º Distrito Integrado de Polícia (DIP).

    “Nós até entendemos a família, mas não temos culpa, pois a nossa equipe já estava no local só pela espera do delegado”, informou a perita presente ao local.

    Sob muita comoção dos familiares, o corpo da vítima foi removido pelo Instituto Médico Legal (IML). O crime será investigado pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS).

    Por Josemar Antunes