Fonte: OpenWeather

    Dia A Dia


    Complexo viário Gilberto Mestrinho segue em obras

    Obras seguem em ritmo acelerado e devem ser entregues à população o mais breve possível- foto: Marcio Melo
    Obras seguem em ritmo acelerado e devem ser entregues à população o mais breve possível- foto: Marcio Melo

    As duas alças de retorno do complexo viário Gilberto Mestrinho, localizado no bairro Coroado, Zona Leste, que estavam previstas para ser entregues à população hoje, ainda continuam em obras. Com o novo sistema, a prefeitura busca reduzir em 15% o volume de veículos na rotatória, que, no horário de pico, é utilizada por mais de 12 mil carros por hora.

    Por enquanto, homens e máquinas seguem trabalhando em ritmo acelerado para finalizar alguns ajustes dos novos retornos. As obras tiveram início no mês de agosto.

    De acordo com a Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf), os recuos serão destinados aos motoristas que trafegam nas avenidas General Rodrigo Otávio e Ephigênio Sales.

    Com a intervenção, os motoristas que estiverem na avenida Ephigênio Sales, no sentido Parque 10/Coroado, terão a opção de retornar em direção ao Parque 10 sem a necessidade de entrar na rotatória. O novo acesso vai facilitar, inclusive, a entrada de veículos da Ephigênio Sales em direção à avenida Governador José Lindoso (avenida das Torres).

    Acesso para veículos pequenos

    No sentido Japiim/Coroado a intervenção vai facilitar o trânsito para os condutores que estiverem na avenida General Rodrigo Otávio. Os motoristas que desejarem retornar no sentido Japiim poderão fazer o retorno no pé do viaduto, também sem circular toda a rotatória.

    De acordo com a Prefeitura de Manaus, o projeto das alças foi elaborado pelo Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização do Trânsito (Manaustrans). A circulação nas novas alças será permitida apenas para veículos de pequeno porte. Veículos pesados não poderão circular nos retornos e terão que contornar a rotatória.

    O diretor presidente do Manaustrans, Paulo Henrique Martins, destacou que o projeto não vai reduzir a capacidade de circulação na rotatória, que permanecerá com três faixas.

    Por Greson Freitas