Fonte: OpenWeather

    Dia A Dia


    Dez são presos durante operação ‘Blackout’, em invasão no Tarumã; animais silvestres e armas foram apreendidos

    A área de 61 mil hactares foi toda destruída, conforme a SSP-AM - foto: divulgação/PC
    A área de 61 mil hectares foi toda destruída, conforme a SSP-AM - foto: divulgação/PC

    Dez pessoas foram presas em cumprimento a mandado judicial durante a operação ‘Blackout’, deflagrada na manhã desta quarta-feira (7), na comunidade Cidade das Luzes, bairro Tarumã, Zona Oeste de Manaus. Todas elas ligadas a facções criminosas.

    Foram presos Pedro Santos Vale, Agnaldo Pereira Gonçalves, Jair Cordovil Trindade (Jair Marinha), Reginaldo Garcia Soriano (Baiaco), Paulo Sérgio Lopes de Souza ( Paulinho), Raimundo Alves Romano (Raimundo Mura), Suzete Almeida Ramos, Ana Maria B. da Costa, Francisnaldo Freire Pereira e Sebastião Ribeiro Marinho Filho, um dos principais alvos da operação  vulgo ‘Velho Sabá’ e ‘Sabá Kokama’. Ele é suspeito de vários crimes e, supostamente, integrante da facção Família do Norte (FDN).

    Conforme informações repassadas na coletiva de imprensa, um homem que realizava a segurança de ‘Sabá Kokama’ foi baleado no rosto, após reagir a ação policial, próximo ao Complexo de Treinamento de Direção Veicular (DETRAN/AM), na avenida Arquiteto José Henrique B. Rodrigues, bairro Monte das Oliveiras, Zona Norte. Anderson Rodrigues de Souza, 30, foi socorrido e levado ao  Hospital e Pronto-Socorro João Lúcio, na Zona Leste, onde passou por cirurgias e tem estado de saúde grave.

    “As equipes policiais civis e militares foram cumprir o mandado judicial contra ‘Sabá Kokama’, mas os capangas e o grupo  indígena reagiu com tiros e flechas, onde um militar foi atingido com uma flechada no peito, porém, o colete balístico o protegeu”, destacou o titular da Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), Sérgio Fontes.

    As informações foram repassadas durante coletiva de balanço da operação - foto: Josemar Antunes
    As informações foram repassadas durante coletiva de balanço da operação - foto: Josemar Antunes

    Durante a ação foram apreendidos diversos animais silvestres, entre os quais uma arara azul, um jabuti, um papagaio e três periquitos, que estavam presos em gaiola. Também estão entre as apreensões equipamentos como motosserra, motor gerador de energia elétrica e armamentos indígenas, incluindo três arcos, sete flechas, duas hastes para flechas e um terçado, além de vários documentos irregulares.

    As informações foram repassadas durante coletiva de balanço das ações realizadas pela SSP-AM, em parceria com o Ministério Público do Estado do Amazonas (MP-AM).
    O resultado da ação policial foi apresentado às 10h, durante a coletiva de imprensa, realizada no auditório da Delegacia Geral de Polícia Civil, localizado na avenida Pedro Teixeira, bairro Dom Pedro, na mesma zona da cidade.

    O trabalho contou com 500 policiais civis e militares, além de membros do MPE e o apoio de 1000 agentes do serviço público municipal, estadual e federal, de órgãos como Corpo de Bombeiros, Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização de Trânsito (Manaustrans), Departamento Estadual de Trânsito do Amazonas (Detran-AM), Manaus Ambiental e Eletrobras Amazonas Energia.

    A ação cumpre, desde às 6h da manhã, 18 mandados de busca e apreensão, 8 de prisão preventiva e 7 de prisão temporária, com o objetivo de combater as organizações criminosas que praticam crimes como homicídios, tráfico de drogas, desmatamento, estelionato entre outros.

    A operação resultou de mais de dois anos e sete meses de investigações realizadas pelo Grupo de Atuação Especial, Regional ao Crime Organizado de Combate ao Crime Organizado (GAEGO) do Ministério Público do Estado do Amazonas (MPE-AM).

    Matéria atualizada às 19h50.

    Por Josemar Antunes