Fonte: OpenWeather

    Dia A Dia


    Dupla em moto mata rapaz a tiros, em frente de casa, no Santo Antônio

    Testemunhas relataram que Diego estava sentado à porta de casa quando foi morto - foto: Josemar Antunes
    Testemunhas relataram que Diego estava sentado à porta de casa quando foi morto - foto: Josemar Antunes

    Um rapaz identificado como Diego Augusto Pereira de Souza, 27, auxiliar de pedreiro, foi assassinado na noite deste sábado (7), em frente a sua residência, na Miguel Ribas, bairro Santo Antônio, Zona Oeste. Segundo a polícia, o fato aconteceu por volta de 23h.

    Testemunhas relataram que Diego estava sentado à porta de casa quando dois homens em uma motocicleta de características não informadas o abordaram. Após alguns minutos de conversa, um dos suspeitos balançou a cabeça em sinal negativo e em seguida os dois saíram.

    Instantes depois, o homem que estava pilotando a moto fez uma manobra na rua e retornou, passando bem em frente ao local onde estava a vítima. O carona, então, efetuou os disparos. Diego foi alvejado no rosto com três tiros.

    Segundo o capitão Fernando Sautelo, da 15ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), um vizinho da vítima, que presenciou o fato, foi quem acionou a guarnição. O homem, que não teve o nome revelado, saiu à procura dos suspeitos em seu próprio carro e ainda chegou a avistá-los abandonando a moto e entrando em um carro preto, modelo Honda Civic.

    Ele então acionou os policiais e os levou até à rua onde a moto havia sido abandonada, porém, ao chegarem ao local, o veículo já não estava.

    A doméstica Ana Magalhães, 40, tia de Diego, contou à reportagem que o sobrinho era tranquilo e não tinha, pelo menos aparentemente, envolvimento com o tráfico de drogas. Os vizinhos confirmaram que ele era pacato. Ana não soube informar se a vítima estava recebendo algum tipo de ameaça.

    O Corpo foi removido pelo Instituto Médico Legal (IML) e o caso foi registrado no 15º Distrito Integrado de Polícia (DIP).

    A polícia informou que fez buscas por todas as imediações da área em que o crime correu, além de pedir a colaboração de outras bases policiais e postos nas barreiras, mas até o momento não obteve êxito na captura dos bandidos.

    Por equipe EM TEMPO Online

    Com informações de Josemar Antunes