Fonte: OpenWeather

    Dia A Dia


    Agente penitenciário é detido após facilitar entrada de mulher com bebidas e celulares no CDP

    O agente penitenciário e a mulher foram levados para o 19ºDIP - foto: divulgação
    O agente penitenciário e a mulher foram levados para o 19ºDIP - foto: divulgação

    O agente penitenciário Sérgio Oliveira dos Santos foi detido após facilitar a entrada da visitante Mirlene Alves de Souza, com garrafas tipo pet contendo bebidas alcoólicas, celulares e carregadores, no Centro de Detenção Provisório (CDP), localizado no quilômetro 8 da BR-174. O fato ocorreu na manhã desse sábado (26).

    De acordo com a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), Sérgio receberia a quantia de R$200 para autorizar a entrada da mulher, que levaria os produtos para o interno Kelison Lima dos Santos.

    Ainda segundo a Seap, o suspeito realizou revista no material levado por Mirlene e em seguida autorizou a entrada da visitante.

    Outro agente penitenciário desconfiou do material que tinha sido liberado e chamou o supervisor para realizar uma nova revista, onde foram encontradas 11 garrafas pets de dois litros com bebida alcoólica, três celulares, quatro carregadores e um cartão de memória.

    Após a comprovação de que os materiais proibidos tinham sido liberados, o supervisor se dirigiu até a mesa onde o agente Sérgio estava realizando a revista e encontrou no lixo a quantia de R$ 200 em espécie enrolada dentro de pacotes de freegels.

    O agente penitenciário e a mulher foram levados para o 19º Distrito Integrado de Polícia (19º DIP), onde foram tomadas as medidas cabíveis.

    A Seap ainda informou que intensificou os procedimentos de revistas para visitantes e também para agentes, com o intuito de coibir a entrada de materiais proibidos nas unidades.

    O secretário, Pedro Florêncio, explica que a determinação segue o objetivo de trazer ordem e segurança ao sistema penitenciário.

    “Adotamos a medida de revistar até funcionários para atacar a origem do problema. A quantidade de material ilícito que os presos têm acesso só entra nas unidades de duas maneiras, com visitantes e facilitação de funcionários. Dessa forma, o agente foi encaminhado para prestar esclarecimentos sobre o caso e, se comprovado que ele autorizou a entrada do material, tomaremos as providências necessárias”, disse o secretário.
    Com informações da assessoria