Fonte: OpenWeather

    Dia A Dia


    Transferências escolares iniciam no Estado e Prodam chama público para usar Internet

    Seduc
    Mas, de acordo com a Prodam, apenas 7% do total de 170 mil matrículas efetivadas no ano passado, foram feitas via internet. foto - divulgação.


    A tecnologia aliou-se à educação e está permitindo comodidade e rapidez a pais e alunos no Amazonas, que não precisam mais ir às escolas para fazer as matrículas e transferências ao ano letivo. A Empresa de Processamento de Dados Amazonas S.A (Prodam), que gere e pensa a tecnologia do Estado e de outros órgãos, está com toda a estrutura e pessoal preparados para a nova fase que iniciou nesta segunda-feira (11), quando começaram a serem feitos os pedidos de transferências na rede pública de ensino (estadual e municipal), pelo site www.matriculas.am.gov.br.


    Mas, de acordo com a Prodam, apenas 7% do total de 170 mil matrículas efetivadas no ano passado, foram feitas via internet, e o objetivo das secretarias estadual e municipal de Educação (Seduc e Semed), é que o número de acessos on line aumente este ano. “Queremos triplicar esse número”, adianta o Diretor Presidente da PRODAM, Márcio Silva de Lira.


    Caso o aluno não tenha computador para processar a matrícula, pode procurar as unidades escolares em busca de apoio para fazer todo o processo, onde a Prodam dispõe, ao todo, de links em 230 escolas somente em Manaus. “O público não precisa mais ir de madrugada para as escolas, tomar sol e chuva, marcar lugar, essas coisas, como no passado bem recente, porque agora as matrículas podem ser feitas via internet”, frisa o Diretor.


    Neste domingo, as equipes da Prodam estiveram fazendo os últimos acertos e monitoramento do sistema de matrículas, visando atender as demandas e se preparar para quaisquer eventualidades. “Realizamos o acompanhamento da virada do domingo para segunda, quando começaram os acessos”, afirma o supervisor Aquiles Freitas Ventilari.


    A Prodam é uma sociedade de economia mista, de capital fechado, com controle acionário do Governo do Estado. A empresa, criada pela Lei Nº 941, de 10 de julho de 1970, armazena e administra os dados dos órgãos estaduais. Atualmente, a empresa encontra-se vinculada, administrativamente, à Secretaria de Estado de Planejamento, Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia e Inovação (SEPLANCTI), de acordo com a Lei 2.783/2003.



    Com informações da assessoria

    Mais lidas

    1. Entenda como são feitas as buscas por vítimas de afogamento no Amazonas

    2. Procuradores repudiam ataques de defensor público no AM e divulgam nota

    3. Saiba como funciona a tarifa de esgoto em Manaus

    4. Aprovados no concurso do TJAM pedem nomeação e marcam protesto

    5. Evento internacional sobre reprodução de peixes será realizado em Manaus