Fonte: OpenWeather

    Dia A Dia


    Ações tentam controlar aumento de animais de rua

    Microchipagem é um dos processos utilizados para controlar crescimento de animais, além de evitar o abandono por parte dos proprietários – foto: Arquivo Em Tempo
    Microchipagem é um dos processos utilizados para controlar crescimento de animais, além de evitar o abandono por parte dos proprietários – foto: Arquivo Em Tempo

    Desde a exclusão da prática de acolhimento, o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), no bairro Compensa, na Zona Oeste, vem implantando ações para combater o crescimento populacional de cães e gatos em Manaus, com o objetivo de manter a segurança da saúde pública. Somente na capital existem em média 310 mil cães e gatos, entre animais domiciliados e semidomiciliados.

    Entre as atividades ainda realizadas pela unidade, a castração e a microchipagem são as mais procuradas nos últimos meses, de acordo com o órgão. Dados repassados pelo CCZ, mostram que de abril de 2015 até o início deste ano, foram realizados 8.142 procedimentos, o que representa um aumento de 105% na média de atendimento. Deste total, 3.831 procedimentos para castração e microchipagem de cães e gatos foram realizados pelas unidades moveis do CCZ.

    A microchipagem permite que o CCZ tenha informações de registro e identificação do proprietário e do animal, por meio do implante de microchips.

    Já a castração é o método de controle populacional recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Segundo o CCZ, os procedimentos realizados pelos veterinários são por meio da técnica minimamente invasiva ou do gancho. No caso de macho o processo é feito no orquiectomia e nas fêmeas no ovário-histerectomia.

    Além disso, a instituição continua com tratamentos médico veterinário de zoonoses em animais de rua que por algum motivo podem oferecer risco à saúde. De acordo com o órgão, o animal é capturado, levado para a sede do CCZ e fica acolhido durante o período do tratamento, após isso, caso não apareça o dono, o cão ou gato é disponibilizado no sistema de adoção, uma vez que o centro não pode mais abrigar definitivamente nenhuma espécie.

    Imunização

    Outro serviço também oferecido pelo CCZ é a campanha anual de vacinação antirrábica animal que disponibiliza a vacina gratuitamente durante todo ano na sede do órgão. O serviço de vacinação de cães e gatos funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. Também cabe a instituição, a realização das investigações de casos suspeitos de zoonoses como a raiva, leptospirose, leishmaniose visceral, entre outras doenças.

    Quem tiver interesse em agendar uma dessas atividades para o animal deve procurar a sede do CCZ, localizado no bairro Compensa, ou as duas unidades moveis que ficam localizadas no bairro Jorge Teixeira, na Zona Leste, e no conjunto Francisca Mendes, no bairro Cidade Nova, Zona Norte.

    É necessário apresentar no ato do agendamento, RG e CPF e comprovante de residência. Uma das regras para a realização da castração e microchipagem é que o animal tenha mais de quatro meses de idade e que esteja em boas condições de saúde física, comprovado por meio de avaliação veterinária.

    Proposta tenta criar abrigo municipal

    A implantação de um abrigo municipal para animais foi sugerida pelo vereador Everaldo Farias, por meio da indicação 028/2015, à Prefeitura Municipal de Manaus (PMM). Entretanto, a proposta deve esbarrar na falta de recursos para a sua implantação, de acordo com informações do Legislativo municipal. O corte na verba destinado às políticas públicas do município, devido à crise econômica, pode inviabilizar o sonho de anos de algumas Organizações Não Governamentais (ONGs) dedicadas à luta contra o abandono de animais domésticos nas ruas.

    A indicação foi aprovada pela mesa diretora da Câmara Municipal de Manaus (CMM), no ano passado, e enviada para a apreciação do prefeito Arthur Neto (PSDB). A referida indicação, de acordo com informações da Secretaria Municipal de Comunicação (Semcom), será analisada pela prefeitura para a efetiva implantação, pois a obra precisa entrar no orçamento da máquina pública, para que o abrigo seja construído. Entretanto, diante da queda da arrecadação, a indicação 028/2015, pode ser vetada de forma imediata.

    Por Gerson Freitas

    Mais lidas

    1. Entenda como são feitas as buscas por vítimas de afogamento no Amazonas

    2. Procuradores repudiam ataques de defensor público no AM e divulgam nota

    3. Saiba como funciona a tarifa de esgoto em Manaus

    4. Aprovados no concurso do TJAM pedem nomeação e marcam protesto

    5. Evento internacional sobre reprodução de peixes será realizado em Manaus