Fonte: OpenWeather

    Dia A Dia


    Rodoviários paralisam serviços em bairros da Zona Sul nesta quinta

    As linhas atendem bairros da zona Sul da capital e deixaram pelo menos 3 mil pessoas sem condução - foto: divulgação
    As linhas atendem bairros da zona Sul da capital e deixaram pelo menos 3 mil pessoas sem condução - foto: divulgação

    Pelo terceiro dia seguido, membros do Sindicato dos Rodoviários paralisaram linhas do transporte coletivo de Manaus. Desta vez,  as linhas 601, 608, 610 e 612, que pertencem à empresa Transtol Transportes ficaram sem operar de 15h40 até às 17h18. As linhas atendem bairros da zona Sul da capital e deixaram pelo menos 3 mil pessoas sem condução.

    A empresa informou que a paralisação é pelo mesmo motivo usados pelos sindicalistas quando paralisaram as atividades em outras duas empresas esta semana: o não acordo em relação ao dissídio coletivo da categoria. Nesta semana as concessionárias Líder Transportes e Viação São Pedro também foram alvos dos sindicalistas.

    O Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram) já acionou a justiça para que os sindicalistas sejam multados, já que descumpriram a lei de greve e prejudicaram a população usuária do transporte coletivo.

    Liminar em vigor

    Desde a última segunda-feira (25), as dez empresas que operam o transporte coletivo estão em posse de uma decisão deferida pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT), que estabelece que 70% da frota opere normalmente nos horários de pico, caso o Sindicato dos Rodoviários realize algum movimento. O descumprimento da decisão judicial pode acarretar uma multa de R$ 50 mil por hora ao sindicato dos trabalhadores.

    Dissídios 

    Esta semana o Sinetram se reuniu com representantes do sindicato dos rodoviários, para discutir propostas do dissídio coletivo dos trabalhadores, mas não houve acordo. Os sindicalistas pleiteiam um reajuste de 20%, porém, com a grave crise econômica por que passam o sistema de transporte e o país, é muito difícil um reajuste, muito menos nesse nível. As negociações devem continuar até o início da data base da categoria, que é dia 1º de maio.

    Atualmente o salário dos motoristas é de R$ 2.093,98, cobrador R$ 1.046,98, administrador de linha R$ 2.293,54, tíquete alimentação e vale-lanche diários de R$ 12,50 e R$ 6,50, respectivamente, cesta básica de R$ 210,60, além do plano de saúde.

    Com informações da assessoria

    Mais lidas

    1. Entenda como são feitas as buscas por vítimas de afogamento no Amazonas

    2. Procuradores repudiam ataques de defensor público no AM e divulgam nota

    3. Saiba como funciona a tarifa de esgoto em Manaus

    4. Aprovados no concurso do TJAM pedem nomeação e marcam protesto

    5. Evento internacional sobre reprodução de peixes será realizado em Manaus