Fonte: OpenWeather

    Dia A Dia


    Em Parintins, PM reage à emboscada e mata detento do semiaberto

    Após ser baleado, PM acerta e mata bandido – foto: Tadeu de Souza
    Após ser baleado, PM acerta e mata bandido – foto: Tadeu de Souza

    Parintins (AM) – Detento do regime semiaberto em Parintins (a 369 quilômetros de Manaus), Joaquim Teixeira Machado, 21, vulgo ‘Bodinho’, foi morto a tiros na madrugada deste domingo (29), ao tentar contra a vida de um policial militar que retornava para casa, acompanhado da esposa.

    O fato aconteceu na avenida Paraíba, Zona Oeste da cidade, a um quarteirão do quartel da PM. ‘Bodinho’ estava acompanhado de mais dois jovens, um deles identificado apenas como Gabriel.

    Comandante das guarnições da PM, o tenente Ricardo Viana contou que o policial trafegava normalmente pela avenida Paraíba em sua motocicleta, quando foi reconhecido por Bodinho, que o acertou com um disparo de revólver calibre 38, na perna. O PM reagiu, dando início a um intenso tiroteio na área.

    Nesse instante, Gabriel e outro elemento de nome não identificado, ambos desconhecidos da polícia, também fizeram vários disparos contra o PM, que revidou os tiros, acertando ‘Bodinho’ na cabeça.

    “A todo instante, o policial gritava para que o Bodinho largasse a arma, mas o mesmo não atendia, nem ele e nem os dois rapazes que estamos procurando. Estavam decididos a matar o PM”, afirmou Viana.

    Com a chegada das viaturas da polícia, Gabriel e o outro comparsa fugiram. O PM ferido foi levado para o Hospital Padre Colombo e o corpo de ‘Bodinho’ para o Instituto Médico Legal (IML).

    Condenação

    ‘Bodinho’ havia sido condenado por assaltos e tráfico de drogas. No ano passado, durante assalto a um posto de gasolina na Zona Oeste de Parintins, ele chegou a ser baleado na perna. Foi preso e já estava em liberdade.

    Durante a tarde, no velório de Bodinho, o pai dele, Joaquim Teixeira Machado, bastante abalado, contou que havia terminado de fazer uma oração quando ouviu os disparos. “Foram muitos, acredito que meu filho foi executado”, disse ele.

    Segundo o coronel Valadares Júnior, comandante local da PM, foi aberto um procedimento para investigar o caso. A arma do policial será enviada a Manaus para perícia.

    A polícia Civil instaurou inquérito e ainda neste domingo foram colhidas as primeiras informações acerca do ocorrido.

    Por Tadeu de Souza

    Mais lidas

    1. Entenda como são feitas as buscas por vítimas de afogamento no Amazonas

    2. Procuradores repudiam ataques de defensor público no AM e divulgam nota

    3. Saiba como funciona a tarifa de esgoto em Manaus

    4. Aprovados no concurso do TJAM pedem nomeação e marcam protesto

    5. Evento internacional sobre reprodução de peixes será realizado em Manaus