Fonte: OpenWeather

    Dia A Dia


    Corpo de engenheiro é velado por familiares e amigos; suspeito de atropelamento continua ‘desaparecido’

    Velorio-Heitor-Ione-Moreno
    Amigos e familires do engenheiro querem justiça e dizem que vão lutar para que a polícia encontre e prenda o suspeito - foto: Ione Moreno

    Familiares e amigos estão reunidos na funerária Almir Neves, localizada na rua Monsenhor Coutinho, Centro de Manaus, para velar o corpo do engenheiro mecânico Heitor Aparecido da Silva, 56. O enterro também será nesta terça-feira (6), no cemitério Parque Tarumã, Zona Oeste.

    Heitor faleceu devido à uma parada cardiorrespiratória no início da tarde de ontem (5), no Hospital e Pronto-Socorro (HPS) João Lucio, Zona Leste da cidade, onde estava internado em estado grave na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), desde da tarde do último domingo, quando foi atropelado e arremessado da parte superior do viaduto Gilberto Mestrinho, localizado na mesma zona do HPS.

    A esposa do engenheiro, Fabiana Azevedo, 37, estava bastante consternada com a situação e, amparada por amigas, disse apenas que “era difícil falar naquela situação”.
    O cunhado de Heitor, Fabiano Azevedo, 39, visivelmente abatido, não quis comentar as investigações que serão realizadas pela polícia em busca do condutor do Honda City – que atropelou e arremessou o engenheiro.

    “Estávamos todos concentrados apenas nele [Heitor], acreditávamos que ele ia sair dessa. Isso [as investigações] é parte da polícia”, disse Fabiano ressaltando que, por meio da polícia, obteve a informação de que o suspeito de ter atropelado Heitor e fugido sem prestar socorro, Thiago Dinelly, responde a um processo de 2013, por embriaguez ao volante e teve sua carteira de habilitação suspensa.

    “Vamos nos unir agora e lutar por justiça. Ele não podia nem dirigir e o velocímetro do carro dele ficou estagnado no número 100, quando houve a colisão. Temos fotos”, disse um amigo da vítima, identificado como Leandro Azevedo.

    De acordo com informações repassadas pela Polícia Civil, o caso foi registrado no 9º Distrito Integrado de Polícia (DIP) e transferido para o 11º DIP (que abrange a área onde ocorreu o acidente), mas será investigado pela Delegacia Especializada em Crimes de Trânsito (Deat). Entretanto, as diligências para que o autor seja localizado só serão iniciadas na quinta-feira (8), devido ao feriado prolongado.

    “Logo depois do acidente, instaurei um procedimento de tentativa de homicídio, mas como a vítima veio a óbito, cabe ao titular do 11º mudar o artigo e enviar a justiça”, disse o delegado do 9º DIP, Jeff MacDonald, completando que Dinelly deve ser indiciado por homicídio culposo (quando não há intenção de matar) qualificado, visto que fugiu sem prestar atendimento à vítima e por estar impedido de dirigir.

    O acidente

    Segundo informações do segundo tenente da 11ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), Siqueira Lobo, Heitor teria parado seu veículo, modelo Saveiro, de cor vermelha e placa OAN 1981, para ajudar outro carro, não identificado, que estava em pane. Um terceiro veículo, modelo Honda City, de cor preta e placa OAN 1579, que estava em alta velocidade, colidiu com o Saveiro, e lançou Heitor de cima do viaduto. O homem conseguiu cair em pé, mas fraturou diversas vértebras.

    Na ocasião, a vítima foi encaminhada pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), ao Hospital João Lúcio.

    Por equipe EM TEMPO online

    Mais lidas

    1. Entenda como são feitas as buscas por vítimas de afogamento no Amazonas

    2. Procuradores repudiam ataques de defensor público no AM e divulgam nota

    3. Saiba como funciona a tarifa de esgoto em Manaus

    4. Aprovados no concurso do TJAM pedem nomeação e marcam protesto

    5. Evento internacional sobre reprodução de peixes será realizado em Manaus