Fonte: OpenWeather

    Dia A Dia


    Após anúncio de greve, governo do AM garante que delegacias vão funcionar normalmente

    A paralisação está prevista para o próximo dia 25 deste mês - Divulgação/PC-AM

    Apesar da aprovação do indicativo de greve dos funcionários da Polícia Civil do Amazonas (PC-AM), ocorrida durante assembleia geral na noite desta quarta-feira (18), o governo do Estado disse que só deve se pronunciar a respeito da decisão após ser notificado oficialmente. Enquanto isso, segundo a Secretaria de Estado de Comunicação (Secom), os serviços nas delegacias estão garantidos.

    Já a categoria afirma que a notificação deve ocorrer em até 72 horas , a contar a partir da decisão convencionada e a paralisação está prevista para o próximo dia 25 deste mês.

    Por meio da sua assessoria de imprensa, a Delegacia Geral da Polícia Civil informou que, na noite de hoje, também não havia sido notificada sobre a decisão pela greve. No entanto, durante reunião prévia com a cúpula de segurança da instituição, “foi ajustado com os delegados de Distritos Integrados de Polícia (DIPs) e Delegacias Especializadas que a categoria seguiria com os atos de greve e manifestações em frente às delegacias, porém, mantendo o mínimo de 30% dos serviços no período de execução do ato, que deve durar no máximo 24 horas”.

    O comunicado expressa ainda que “qualquer observação de descumprimento será base para acionar juridicamente a categoria e a instituição está preparada para isso”, enfatizou a assessoria.

    Assembleia

    A aprovação do indicativo de greve ocorreu com a participação de mais de 500 funcionários da PC-AM, entre delegados, policiais, escrivães e servidores do administrativo, na sede do Sindicato dos funcionários da Polícia Civil do Amazonas (Sinpol), bairro Aleixo, Zona Centro-Sul de Manaus. O vice-presidente da casa, Ordilei Araújo, destacou que em até 72h os órgãos competentes serão notificados sobre a decisão e a paralisação de 70% dos serviços está prevista para o próximo dia 25 deste mês.

    Segundo o presidente do Sinpol, Moacir Freitas, serviços como registro de Boletim de Ocorrência (B.O) e emissão de segunda via de Registro Geral (RG) serão afetados durante a paralisação.

    “Apenas serão realizados serviços de registro de flagrantes mediante apreensões da Polícia Militar do Amazonas (PM-AM)”, destacou.

    Reivindicações

    A categoria pede o pagamento do escalonamento de 2014, que foi dividido em quatro parcelas, mas, segundo o Sinpol, até esta quarta, os servidores só receberam duas parcelas. A terceira parcela, prevista para ser paga no início de deste mês, não foi depositada.

    Isac Sharlon

    EM TEMPO

    Mais lidas

    1. Entenda como são feitas as buscas por vítimas de afogamento no Amazonas

    2. Procuradores repudiam ataques de defensor público no AM e divulgam nota

    3. Saiba como funciona a tarifa de esgoto em Manaus

    4. Aprovados no concurso do TJAM pedem nomeação e marcam protesto

    5. Evento internacional sobre reprodução de peixes será realizado em Manaus