Fonte: OpenWeather

    Dia A Dia


    Homem é preso após matar a facadas o padrasto em Jutaí

    Oseias Corrêa da Silva foi atuado por homicídio e ficará preso na delegacia a disposição da justiça - Divulgação/PC

    O peixeiro Oseias Corrêa da Silva, 33, foi preso na manhã quarta-feira (25), após matar a facadas o padrasto, o agricultor Clarindo Guerreiro, Homem é preso após matar a facadas o padrasto em Jutaí

    O peixeiro Oseias Corrêa da Silva, 33, foi preso na manhã quarta-feira (25), após matar a facadas o padrasto, o agricultor Clarindo Guerreiro, 59. O crime ocorreu na casa da vítima, no município de Jutaí (a 751 Km de Manaus).

    De acordo com o delegado titular do 56º Distrito Integrado de Polícia (DIP), Genilson Parente Arruda, o fato ocorreu por volta 7h. O homem foi morto com três facadas.

    “A filha da vítima presenciou o momento do crime. Oseias entrou na casa de Clarindo, retirou uma faca da mochila, e desferiu a primeira facada no tórax do padrasto. Depois deu outro golpe na barriga, foi quando a irmã tentou intervir, mas o suspeito deu uma terceira facada nas costas da vítima. Enquanto estava desferido as facadas, Oseias ainda disse: Isso é por que você tirou meus direitos e porque mandou os caras me bater”, contou o delegado.

    A arma usada no crime pelo suspeito - Divulgação/PC

    Clarindo foi socorrido e levado para o hospital do município, mas não resistiu os ferimentos e morreu durante uma cirurgia. Oseias foi preso nas proximidades da unidade hospitalar.

    Conforme Genilson Parente, a motivação do crime ainda não foi revelada pelo suspeito. “Ele ainda não prestou depoimento, mas na hora da prisão disse que estava revoltado porque o padrasto não o deixava entrar em casa”, falou o delegado.

    A autoridade policial ainda acrescentou que a população se revoltou com o crime e se juntou na frente da delegacia gritando por justiça. “ Só vou ouvi-lo quando os ânimos se acalmarem”, finalizou o delegado.

    Oseias Corrêa da Silva foi autuado por homicídio e ficará na carceragem da delegacia à disposição da justiça.

    Mara Magalhães
    EM TEMPO