Fonte: OpenWeather

    Dia A Dia


    Poste quebrado preocupa população que transita na Torquato

    O problema amedronta motoristas e pedestres que circulam na área - Fotos: Janailton Falcão

    Há aproximadamente uma semana, um poste quebrado, na avenida Torquato Tapajós, bairro Santa Etelvina, Zona Norte de Manaus, preocupa transeuntes e motoristas que passam pela via. Eles temem a queda do poste que, até a tarde desta quarta-feira (22), está seguro apenas pelos fios elétricos.

    O problema aconteceu na segunda-feira (13), quando um caminhão bateu em uma coluna que fica em frente a um posto de gasolina. De acordo com o frentista Thiago Guedes Lima, 30, um caminhoneiro parou no local com o intuito de trocar dinheiro e, quando foi sair, o caminhão bateu no poste, deixando a base quebrada.

    “A empresa Control, que presta serviço para Eletrobras, foi avisada. Na quarta, engenheiros vieram e tiraram foto. Ainda no mesmo dia, a equipe de manutenção veio e tirou as luminárias”, relatou o frentista.

    De acordo com o gerente do posto, Emanoel Beckman de Moraes, 52, não há informações sobre o caminhoneiro porque havia apenas uma funcionária trabalhando no local no horário do fato. “O poste foi quebrado por volta do meio-dia. Naquele momento, estava apenas uma frentista, ocupada, atendendo os carros e acabou não anotando a placa do veículo. Agora, todos os dias alguém vem para tirar fotos, sejam curiosos ou agentes da Eletrobras”, falou.

    O receio do frentista Hélio dos Santos, 29, é que o poste caia durante algum temporal. Além disso, ele frisou que os clientes do posto já perceberam a lentidão da concessionária para o conserto do problema e cobram agilidade no reparo. “As pessoas comentam sobre isso. Nesse tempo de chuva, bate o vento e dá uma balançada. O fio é grosso, potente, onde o poste está caído. Se não fosse isso, já tinha caído. Estão demorando arrumar”, disse.

    Luiz Martins, 59, passa quase todos os dias pela avenida. Ele diz que uma das medidas que devem ser adotadas é a construção de uma mureta ao redor do poste para impedir que os veículos o atinjam. "Tem que fazer algo bem resistente porque é uma área grande onde entram e saem os carros e caminhões. Um deles pode acabar batendo no poste, como aconteceu”. Já o mecânico de refrigeração, Nonato Filho, 30, defende a punição do responsável. “A pessoa que fez isso devia ser responsabilizada e também devia fazer o pagamento do conserto”, destacou.

    Por meio de nota, a Eletrobras Distribuição Amazonas informou que na última segunda-feira (20), um supervisor foi ao local e constatou que o poste não está sustentado pelos cabos elétricos e que não há risco iminente de cair nos veículos. Além disso, a concessionária afirmou que o circuito que passa por ele atende cerca de 8 mil unidades consumidoras.

    “A substituição do poste já está sendo programada, considerando o dano constatado na base do mesmo”, destaca a nota.

    Manoela Moura
    EM TEMPO