Fonte: OpenWeather

    Dia A Dia


    Abram alas para as oito escolas do Grupo Especial neste sábado

    As rainhas de baterias estão preparadas para o Desfile desta noite - Fotos: Márcio Melo

    Com direito a muito samba no pé, beleza, criatividade, reciclagem e determinação, o sambódromo de Manaus recebe hoje, o desfile do Grupo Especial das Escolas de Samba do Carnaval amazonense. Oito agremiações vão brigar pelo título deste ano, em um evento que começa às 20h, com entrada grátis e cercado de grande expectativa.

    A primeira a descer será a Sem Compromisso que, com a Vila da Barra, formam os dois extremos na ordem do desfile. E é justamente sobre elas que o EM TEMPO fecha a série de quatro semanas de matérias especiais publicadas com o objetivo de mostrar a preparação e performance prometida por cada uma das oito participantes.

    A Sem Compromisso aposta na história das feiras de diversos setores como enredo. Com um tema bastante diversificado, a agremiação leva para o sambódromo 3,5 mil brincantes, 250 ritmistas, 80 baianas, três carros alegóricos e um módulo, além de muito entusiasmo e confiança.

    Um dos fundadores e atual diretor musical da escola, José Lobo, conta um pouco do que será apresentado mais tarde e porque a Sem Compromisso decidiu investir no comércio para o Carnaval de 2017. “Falaremos de todas as feiras em geral, sendo ela de tecnologia, automóveis, alimentos ou vestuários”, explicou.

    Diferentemente das coirmãs, a Sem Compromisso vem utilizando materiais recicláveis nas confecções das fantasias e alegorias. O diretor ressalta que a escola é a única que usa Etafon, o mesmo produto utilizado pelas escolas de samba do Rio de Janeiro. Todo material usado para a construção do desfile é doado por uma empresa do Distrito Industrial, cujo dono teve o filho homenageado pela escola há alguns anos.

    “Fazemos o nosso Carnaval com recursos doados pelos amigos. Um dá R$ 1 mil, outro R$ 100 e assim conseguimos montar nosso desfile”.

    Vila da Barra

    A caçula das grandes estrelas do Carnaval de Manaus aposta na fruta considerada vilã das maldades em diversos contos como enredo. Para tirar essa impressão negativa da maçã, a Vila da Barra mostra nos seus três carros alegóricos, nas suas 19 alas composta por 3 mil brincantes, 80 baianas e 250 ritmistas, o lado bom e os benefícios da fruta.

    Assim como as outras escolas, o presidente da Vila, Apollo Ferreira, guarda alguns segredos a sete chaves e fala apenas algumas das cartas usadas para ganhar a disputa pelo título. O fato de pisar na passarela pela primeira vez como especial, não tira da agremiação a determinação de lutar pelo primeiro lugar e conquistar para sua coleção, o inédito troféu de campeã do grupo especial.

    “Vamos falar da maçã em outros termos, quais os benefícios que ela pode trazer”.

    A agremiação entra às 5h20 de amanhã, fechando a programação, mas de acordo com os próprios integrantes, com fôlego para buscar o melhor na passarela.

    Joandres Xavier

    EM TEMPO