Fonte: OpenWeather

    Dia A Dia


    Hotéis caninos são opções para quem precisa viajar

    No canil, os cachorros são soltos até quatro vezes por dia - Márcio Melo

    Quem tem filho canino sabe bem o drama que é precisar sair e ter que encontrar um alguém de confiança para cuidar do seu pequeno. E, pensado nessas pessoas, algumas empresas aproveitaram para criar um ambiente seguro, agradável e confiável para “pais” e seus pets em Manaus.

    O lar da Maskote Pet Shop, na avenida Darcy Vargas, abriga há mais de 15 anos cães de pequeno, médio e grande portes. A responsável pela hospedagem do canil da Maskote, Alexsandra Cruz, conta que 90% da sua clientela é de pessoas de média e alta classe social que viajam e precisam de um espaço seguro para deixar seu bichinho de estimação durante o período.

    “Eles procuram para deixar em média de 10 a 15 dias e, enquanto estão fora, nós enviamos foto por WhatsApp e vídeos para que eles acompanhem os cuidados”, conta.

    Para ser recebido no canil, o cãozinho precisa atender a algumas exigências como estar com o calendário de vacinas atualizado, ser vermifugado e se alimentar de ração. Em casos de alimentação mista, incluindo comida, Cruz explica que é preciso personalizar. “Cachorros que se alimentam de comida podem não se adaptar à ração. Temos clientes que trazem a ração e ainda carne desfiada, mas isso fica a critério deles. Nós atendemos de acordo com a comida que o cachorro consumia em casa para que não tenha problemas como diarreia”.

    https://youtu.be/ejTot4Wk0ZE

    No canil, os cachorros são soltos até quatro vezes por dia para tomar banho de sol e correr, cada um a seu tempo, com exceção dos casos em que os donos pedem que sejam soltos com outros cães para adaptação.

    Todo esse benefício é cobrado de acordo com o porte, podendo variar entre R$ 50 e R$ 70 a diária. O serviço funciona 24 horas e os cães possuem quatro veterinários à disposição para cuidados como banho, tosa e saúde.

    Outro espaço para cuidar do seu mascote é o Manauara Bulldogs (rua Almeron Kaminha, 154, conjunto Jardim Petrópolis, Aleixo), que possui uma equipe especializada e oferece o serviço de hotel e creche para cães de médio porte. As baias são individuais, climatizadas e possuem vigilância eletrônica 24 horas. “Recebemos cães de tamanho médio como buldogue francês, inglês, chow-chow. Temos veterinários disponíveis e segurança porque há cães que custam mais de 6 mil aqui”, conta Marcel Almeida, que cria cães da raça buldogue há mais de 10 anos.

    Dona do Yoda, da raça yorkshire terrier, a jornalista Carmem Lysia deixou seu cachorro em um hotel quando precisou viajar e afirma não ter nada a reclamar do tratamento. “Ele foi super bem tratado, dormia ao ar livre na baia, tinha piscina para as atividades, um educador para ele brincar. Foi muito acolhedor”, conta.

    Para a sua próxima viagem, Lysia já pensou em mais uma alternativa para Yoda. Trata-se do aplicativo Dog Hero, uma plataforma online que reúne pessoas interessadas em oferecer um lar carinhoso para gatos e cachorros enquanto o dono está ausente.

    Os anfitriões, como são chamados, cadastram-se no site e disponibilizam suas residências para receber os animais temporariamente. A média de preço é a mesma de hotéis caninos, entre R$ 40 e R$ 50. Quanto aos serviços de alimentação e entrega, devem ser acordados entre as partes envolvidas durante o tempo necessário.

    EM TEMPO