Fonte: OpenWeather

    Dia A Dia


    Carnaval 2017 movimenta 35% da população em Manaus

    Mais de 160 bandas se inscreveram no Edital de Chamamento Público  - Fotos: Ingrid Anne e Ricardo Oliveira/Semcom

    Até o próximo dia 12 de março, mais dez bandas e blocos agitam o Carnaval de rua 2017 de Manaus. Oito acontecem neste fim de semana, 4 e 5 de março. Ao final do período, os cem eventos apoiados por meio de edital, pela Prefeitura de Manaus, por meio da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult), deverão ter movimentado um público de mais de 700 mil pessoas, segundo estimativas do órgão.

    O diretor-presidente da Manauscult, Bernardo Monteiro de Paula, explicou que um dos critérios utilizados na concessão do apoio às bandas e blocos é o seu histórico e o valor cultural, como a tradição, por exemplo, e que dão a dimensão de público flutuante, fato que é identificado pela equipe de fiscalização. “Somente no Galo de Manaus a Polícia Militar registrou um público de aproximadamente 200 mil pessoas. Esse montante que as bandas e blocos movimentam representa 35% da população de Manaus e reflete a importância cultural e econômica do Carnaval para a cidade”, afirmou.

    Mais de 160 bandas se inscreveram no Edital de Chamamento Público nº 09/2016 para recebimento de apoio de palco, sonorização, iluminação e equipamentos similares, totalizando o valor de até R$ 1,3 milhão. Este é o quarto ano consecutivo que o apoio é feito por meio de edital. “Entendemos que é a forma mais transparente e democrática de incentivar o Carnaval de Manaus. O mesmo procedimento vem sendo adotado para o repasse de recursos junto às escolas de samba”, explicou Bernardo Monteiro de Paula.

    Oito bandas acontecem neste fim de semana, 4 e 5 de março

    Para as 26 agremiações foi disponibilizado o valor de até R$ 1,5 milhão. Doze escolas foram contempladas por meio do Edital de Chamamento Público nº 01/2017. A prestação de contas dos recursos recebidos deverá ser entregue no prazo de 30 dias. A Manauscult tem até 150 dias, prorrogáveis por igual período, para realizar a análise dos mesmos, segundo previsto no edital.

    Limpeza

    Ainda de acordo com o item “l” do edital, as Escolas de Samba têm até 20 dias após o término do evento, para realizar a retirada das alegorias, fantasias e demais objetos relacionados ao Desfile Oficial da via pública. “O não cumprimento acarretará as sanções previstas em lei, ficando inclusive impedidos de celebrar novos termos de colaboração com a Administração Pública”, segundo o edital.

    Além da responsabilidade que cabe às escolas e às bandas organizadoras de eventos, a prefeitura também colocou suas equipes nas ruas para limpar as vias próximas aos eventos. No total, mais de 740 toneladas de lixo foram retiradas pela Prefeitura Municipal no Carnaval 2017. O trabalho, executado por meio da Secretaria Municipal de Limpeza Urbana (Semulsp), teve um custo de R$ 174.805,00, mensurado desde a coleta em si até a disposição final, no aterro de Manaus. Esse foi o volume resgatado, de sábado (25) à Terça-Feira de Carnaval (28), em locais próximos as festas, além do Sambódromo e entorno, nos desfiles das Escolas de Samba.

    A operação de limpeza da Semulsp contou com mais de 200 funcionários atuando no pré e pós-Carnaval. Durante o evento no Sambódromo, a Semulsp esteve presente com um contingente de 100 agentes de limpeza, nos dois dias de desfile.

    Para o Secretário da Semulsp, Paulo Farias, o balanço da operação de limpeza é positivo, principalmente no que se refere ao cumprimento da Lei 1.944, sancionada pelo prefeito Arthur Virgílio Neto, em dezembro de 2014, que obriga os organizadores de eventos a limparem as ruas utilizadas para a realização de festas. “A grande maioria das bandas cumpriu a determinação e limpou as ruas após os eventos. Nossa fiscalização acompanhou os blocos e a limpeza da cidade recebeu importante apoio de cada banda carnavalesca. É um exemplo que a cidade de Manaus dá ao resto do Brasil”, avaliou.

    Durante o Carnaval, apenas seis eventos não cumpriram a chamada ‘Lei da Limpeza’ e já começaram a ser chamados à sede da Semulsp para esclarecimentos ou multa. As bandas de Carnaval que reincidirem receberão multa de 70 UFMs (Unidade Fiscal do Município), com a unidade avaliada em R$ 99,84. Caso ocorra nova infração, será cassada a licença da empresa para a realização de eventos.
    Com informações da assessoria